Houve 5670 restaurantes, cafés, pastelarias e bares a fechar portas no país até ao final de julho, mais 300 do que no mesmo período de 2019, noticia o Correio da Manhã com base em dados da Autoridade Tributária.

Cessaram a atividade 4.750 entidades com um código CAE principal no setor da restauração e bebidas (a título individual ou em sociedade), a julgar pelas comunicações ao Fisco. São mais 190 empresas do que entre janeiro e julho de 2019. O Correio da Manhã junta, também, as empresas com pelo menos um código CAE secundário na área da restauração e bebidas, ou seja, que também prestam este serviço embora não como principal negócio. Aí, 920 entidades cessaram atividade até julho, mais 110 do que no período homólogo.

Um estudo da Iberinform aponta a Hotelaria e Restauração com uma das áreas com maior subida no número de insolvências, com mais 29,2%, cita o jornal. No início de agosto, a AHRESP, associação do setor, indicou que 43% das empresas de restauração e bebidas ponderavam avançar para a insolvência.

AHRESP. 43% das empresas de restauração e bebidas pondera avançar insolvência