Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Kim Kardashian West foi a última celebridade mundial a juntar-se ao coro de vozes que, esta quarta-feira, incentiva o boicote à rede social Instagram, de forma a atingir a empresa que a detém, o Facebook. A campanha, anunciada na última segunda-feira, ganhou o nome “Stop Hate For Profit”. Na origem, está um grupo de organizações como a Anti-Defamation League, a Color of Change, a Free Press e a National Hispanic Media Coalition.

Após a divulgação, várias figuras públicas mundialmente conhecidas manifestaram publicamente a adesão ao protesto. Durante esta quarta-feira, pessoas e empresas comprometem-se a não publicar nada no Instagram. A lista inclui os nomes de Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Orlando Bloom, Katy Perry, Kerry Washington e Sacha Baron Cohen.

Para justificar o boicote, as organizações alegam que o Facebook tem servido de plataforma de divulgação de discurso de ódio bem como de falsidades proferidas por personalidades da política. Como exemplo, alegam a falha da empresa quando não eliminou uma página que encorajava cidadãos armados a sair às ruas de Kenosha, no seguimento dos disparos sobre Jacob Blake.

“Durante anos, as nossas organizações, tal como outros especialistas, alertaram o Facebook para a existência de grupos ou pessoas perigosas e potencialmente violentas a usar a rede social. Mas nunca nos ouviram. Em resposta à postura contínua de minar a democracia e semear a divisão, vamos apelar a que as pessoas congelem o Instagram por um dia e a que partilhem mensagens coordenadas ao longo de toda a semana”, indicou a coligação de organizações que criou a campanha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O boicote ficou assim conhecido como “congelamento do Instagram” e recebeu prontamente o apoio de várias celebridades. “Adoro o facto de estar ligada diretamente a cada um de vocês através do Instagram e do facebook, mas não posso ficar sentada e em silêncio enquanto estas plataformas continuam a permitir a propagação de ódio, propaganda e desinformação. A desinformação partilhada nas redes sociais tem um impacto real nas nossas eleições e mina a nossa democracia”, partilhou Kim Kardashian West na última terça-feira, momento em que anunciou a sua adesão ao boicote.

“Só há uma coisa mais aterradora do que a imagem de Mark Zuckerberg a surfar com a cara toda branca… A supremacia branca e as mentiras que o Facebook espalha todos os dias”, escreveu o ator Sacha Baron Cohen na sua conta de Twitter, logo na segunda-feira.

Já em junho deste ano, os mesmos grupos haviam apelado a um boicote por parte das empresas que anunciam nestas redes sociais.