Há mais portugueses a defender não só um novo confinamento, mas também um confinamento mais exigente. Numa altura em que o número de casos diários de Covid-19 tende a subir, uma sondagem da Aximage para o Jornal de Notícias e a TSF revela que 47% dos portugueses defendem um novo confinamento — quando, em julho, 51% das pessoas recusava medidas mais radicais de combate à pandemia — apesar de 50% acreditar que o país está agora melhor preparado para o inverno. Mais: 54% dos inquiridos quer um confinamento mais exigente do que o anterior.

O Norte e Centro são as regiões em que há mais habitantes a defender um novo confinamento (52%). A medida é apoiada também maioritariamente pelas classes médias (51%) e pelas pessoas com idades entre os 18 e os 34 anos (65%).

No entanto, há portugueses que não concordam com esta medida. Especialmente os mais velhos, os que têm mais dinheiro, os que vivem no Porto e os que votam no PS. Segundo a sondagem, 51% dos inquiridos com idades entre os 50 e 64 anos são contra um novo confinamento, bem como 42% dos portugueses com escalões de rendimento mais elevados, 49% dos que votam no PS e 44% dos que vivem na Área Metropolitana do Porto.

Quanto ao cumprimento das regras de combate à pandemia, 68% acha que é mais cumpridor do que a maioria dos portugueses, sobretudo os mais velhos, e apenas 6% admite que se relaxou no cumprimento das recomendações, sobretudo os mais novos.