O Facebook avisa que não sabe como poderá funcionar na União Europeia caso seja obrigado a não partilhar os dados dos utilizadores europeus com os Estados Unidos da América, como propõe a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda.O aviso foi dado ao Supremo Tribunal da Irlanda, de acordo com o jornal espanhol El Mundo.

“Caso o Facebook esteja sujeito a uma suspensão completa dos dados de utilizadores para os Estados Unidos, como parece ser a proposta da Comissão de Proteção de Dados, não está claro como é que o Facebook, nestas circunstâncias, poderia continuar a fornecer os serviços do Facebook e Instagram na União Europeia”, explicou a empresa num documento enviado ao Supremo Tribunal da Irlanda

No passado dia 10, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda, o principal regulador de privacidade do Facebook na Europa, iniciou uma investigação sobre a forma como a empresa de Mark Zuckerberg transfere dados da União Europeia para os EUA.

O Facebook poderá ser forçado a parar de enviar os dados, caso os tribunais concluam que algumas dessas transferências não protegem os utilizadores europeus de serem alvo de espionagem por parte do governo norte-americano.

A justiça irlandesa ordenou a suspensão da transferência de dados, enquanto a disputa legal entre a empresa e o regulador não está resolvida. O Facebook recorreu da decisão, argumentando que a proibição teria um grande impacto nas suas operações.

Inicialmente, os argumentos que a rede social apresentava foram entendidos como uma ameaça, mas fonte do Facebook disse à agência de notícias Europa Press, citada pelo El Mundo, que a empresa não estava a ameaçar sair da Europa. O porta-voz esclareceu que os documentos enviados ao tribunal têm como objetivo mostrar que o Facebook e muitas outras empresas dependem desta transferências de dados entre a UE e os Estados Unidos para poderem operar.

“As transferências internacionais de dados aprovam apoiam a economia global e sustentam muitos dos serviços que são fundamentais para as nossas vidas diárias”, afirmou o porta-voz.

A gigante norte-americana recordou ainda, no mesmo documento, que as suas aplicações ajudaram a gerar vendas de 208 milhões de euros a 7.700 empresas de toda a Europa. Segundo dados da empresa, 305 milhões de pessoas usam diariamente os serviços do Facebook no continente europeu.

*Atualizado a 22 de setembro com o esclarecimento do Facebook.