O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desmantelou em Lisboa uma rede internacional de falsificação de documentos que culminou na detenção de duas pessoas, anunciou esta terça-feira aquele serviço de segurança.

Em comunicado, o SEF precisa que os dois cidadãos estrangeiros são suspeitos dos crimes de falsificação e contrafação de milhares de documentos e outros crimes informáticos.

Segundo aquele serviço de segurança, a investigação, que decorreu nos últimos dois anos, pôs fim “a uma complexa e furtiva rede internacional que recorria à “darkweb” para vender diversos tipos documentos de identificação, incluindo passaportes portugueses, de vários países europeus, americanos e árabes”.

A operação, denominada “Fewas” e realizada em Lisboa, contou com a colaboração da Europol e da Interpol.