O ministro da Defesa Nacional anunciou esta quinta-feira que, na próxima semana, várias equipas constituídas por membros dos três ramos das Forças Armadas vão iniciar ações de formação para auxiliar trabalhadores dos lares no combate à pandemia.

Em declarações à agência Lusa, no final da cerimónia de entrega de espadas aos novos oficiais do Exército, que decorreu esta tarde, na Academia Militar, em Lisboa, João Gomes Cravinho anunciou que o auxílio das Forças Armadas à sociedade no combate à pandemia vai entrar “numa nova fase”, desta vez nos lares.

A grande preocupação que nós temos é a salvaguarda dos lares e dos utentes dos lares e portanto, iremos fazer, com o Ministério do Trabalho, da Solidariedade e Segurança Social, aquilo que fizemos com as escolas em parceria com o Ministério da Educação, isto é, visitar os lares para empreender ações de formação, para o pessoal dos lares, para prevenir a disseminação do vírus” nestas instituições, adiantou o ministro.

Segundo Gomes Cravinho, este “é um esforço que irá arrancar durante a próxima semana”, contando com “130 equipas do Exército, de 3 elementos cada, e mais 5 da Marinha e 4 da Força Aérea para cobrir o país, sempre em parceria com as entidades do Ministério do Trabalho”.

Já durante os meses de verão, várias equipas de militares dos três ramos das Forças Armadas deram formações em escolas do país, sobre a utilização de equipamentos de proteção individual, limpeza e desinfeção aos técnicos auxiliares.

De acordo com o ministro da tutela, as ações de formação nas escolas chegaram a 270 concelhos do país, sendo que em relação aos lares será feito um “esforço semelhante para cobrir o máximo possível de lares com atividades de formação e conselhos sobre como se devem organizar em relação à pandemia”.

Enquanto houver pandemia haverá apoio das Forças Armadas para o combate à pandemia, esse é um dado assente”, rematou Gomes Cravinho.

O ministro da Defesa Nacional discursou esta quinta-feira na cerimónia de entrega de espadas aos 50 novos oficiais dos quadros permanentes do Exército, que decorreu esta tarde, na Academia Militar, em Lisboa.

Na cerimónia, na qual também discursou o Chefe de Estado-Maior do Exército, general José Nunes da Fonseca, foram entregues os diplomas aos alunos finalistas de países de língua portuguesa e atribuído o Prémio Ministro da Defesa Nacional ao primeiro classificado destes oficiais.

A entrega das Espadas aos oficiais é tradicionalmente feita quando estes terminam o seu curso de formação e simboliza a autoridade conferida para a função de comando e liderança.