O bispo do Porto considerou esta sexta-feira que o atentado na catedral de Nice, em França, é o resultado dos “preconceitos” de europeus que “estão sempre de dedo em riste a acusar as religiões” e não fomentam o diálogo inter-religioso.

“O atentado de ontem na catedral de Nice não é luta do Islão contra o Cristianismo: é o resultado dos preconceitos daqueles europeus que não só não fomentam o diálogo intercultural e inter-religioso como até estão sempre de dedo em riste a acusar as religiões“, escreve Manuel Linda numa publicação na rede social Twitter.

A posição do responsável pela Diocese do Porto e anterior bispo das Forças Armadas e Forças de Segurança é divulgada um dia depois do ataque que matou três pessoas, na basílica de Nossa Senhora da Assunção, em Nice.

Num outro tweet publicado pouco depois, o bispo disse condenar os ataques: “o que se quer afirmar na minha mensagem anterior é que um fanático não representa o Islão. Mas muitos que veem neste ato uma guerra religiosa são quem mais desvaloriza as religiões. Evidentemente, condeno o atentado”, escreveu.

O autor do ataque é um tunisino de 21 anos que chegou a França no dia 9 de outubro, vindo da Itália.

O agressor entrou na igreja às 08h29 da quinta-feira com uma arma branca e matou uma mulher de 60 anos e o sacristão, de 55 anos. Uma cidadã brasileira de 44 anos, residente na França, foi atacada várias vezes e acabou por morrer num restaurante próximo, onde se refugiou.

O agressor, que foi rapidamente detido pela polícia, foi ferido a tiro com gravidade e transportado para o hospital.

Segundo fonte próxima do inquérito, o atacante gritou ‘Allah Akbar’ (“Deus é grande”).

As autoridades francesas detiveram, entretanto, um homem suspeito de ter contactado com o autor do ataque.