A Eslováquia testou para o novo coronavírus metade da população num só dia. Segundo o The Guardian, os testes foram feitos este sábado e fazem parte da medida que o país encontrou para evitar um novo confinamento e não entupir os serviços de saúde. Este domingo será testada a restante população.

Segundo o governo eslovaco, foram testados 2,58 milhões de pessoas só este sábado, 25.850 dos quais testaram positivo e devem ficar em quarentena. Este plano de testagem em massa prevê testar todos os cidadãos com mais de dez anos, o que significa testar cerca de 4 milhões de uma uma população total de 5,5 milhões.

Segundo dados do ministro da Defesa, Jaroslav Nad, foram colocados mais mais e 40 mil profissionais, entre médicos, assistentes, soldados, polícias, administrativos e voluntários, em 5 mil locais diferentes para testar as pessoas. Muitos locais foram mesmo adaptados para pôr este plano em prática. São todos gratuitos e voluntários.

O primeiro ministro, Igor Matovič, ainda pediu desculpa à população, mas admitiu que é a melhor forma de evitar um novo confinamento, o caminho certo dado o aumento de casos e a capacidade de resposta dos serviços de saúde.  “A liberdade tem que andar de mãos dadas com a responsabilidade”, lembrando os mais fracos, como os doentes oncológicos, os idosos, ou outros doentes que são mais vulneráveis e que se ficarem infetados poderão sofrer consequências mais graves, disse numa conferencia de imprensa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Este domingo o país reportou 2.282 novos casos, perfazendo assim um total de  59.946 infeções no país, 219 mortes a registar. Estes números não incluem os apurados neste plano de testagem que está a ser posto em prática ao longo deste fim de semana.

Serão feitos novos testes a 6 e 8 de novembro. Quem não quiser fazer o teste, terá que cumprir quarentena obrigatória por dez dias. Quem violar este período e for apanhado na rua, poderá ser multado em 1.650 euros.