O confinamento obrigatório na Austrália do Sul começou esta quarta-feira, depois de terem sido detetadas 36 infeções, e estava previsto durar seis dias. O lockdown que visa combater a pandemia de Covid-19 teve origem na mentira que o funcionário de uma pizzaria contou às autoridades que tentavam rastrear o contágio.

Tudo teria sido evitado, escreve a BBC, se o homem infetado tivesse dito que, além de trabalhar enquanto segurança num hotel, fazia turnos na pizzaria Woodville Pizza Bar, na cidade de Adelaide — às autoridades, o homem de nacionalidade espanhola afirmou que apenas tinha ido ao estabelecimento em questão comprar uma pizza.

A desinformação fez com que as autoridades assumissem que o homem tinha contraído o vírus na sequência de uma breve exposição e que em causa estava um nível de contágio muito alto. Sobre isso, Steven Marshall, primeiro-ministro da Austrália do Sul, afirmou: “Dizer que estou furioso é um eufemismo”.

Marshall garantiu que vai analisar com cuidado as consequências a aplicar enquanto o espanhol não identificado permanece em confinamento — à semelhança do restante estado. Entretanto, as autoridades confirmaram que o lockdown termina no sábado, três dias mais cedo do que o planeado dado que na sexta-feira apenas foram registados três novos casos.

Ao todo, a Austrália regista cerca de 900 mortes e 28 mil infeções.