Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O regresso dos festivais de música na primavera de 2021 é a convicção dos promotores portugueses dos maiores eventos do género, depois de um 2020 em que as medidas de contingência face à pandemia da covid-19 impediram a realização de inúmeras atividades culturais e desde logo os festivais, que podem ter tido quebras a rondar os 80%, o que corresponde a menos cerca de 16 mil milhões de euros na economia. “Face à nova realidade da vacina e perante a credibilidade dos testes rápidos, estou convencido de que a partir de abril e maio será possível realizar festivais”, afirma Luís Montez, da Música no Coração, promotora do SBSR e do Sudoeste.

Deve ser anunciada nos próximos dias a criação de um grupo de trabalho para estudar as condições de retoma dos espetáculos. É uma iniciativa conjunta da indústria musical e do Estado, com representantes do Ministério da Cultura. “Certamente vamos encontrar soluções, como está a acontecer na Alemanha ou nos EUA”, confia Luís Montez.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.