Dark Mode 197kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Extreme E, 4x4 e com 540 cv, passou 1º teste

Os buggies Extreme E, com tracção 4x4 e 540 cv, vão disputar a sua primeira época de todo-o-terreno e estão prontos para a primeira corrida de 2021. A prova dos nove teve lugar em Espanha.

17 fotos

Depois de criar a Fórmula E, o espanhol Alejandro Agag virou-se das provas em pista disputadas com fórmulas eléctricos para o todo-o-terreno, com um buggy com tracção integral e mais de 500 cavalos. Antes de serem expedidos para a Arábia Saudita, onde se irá disputar a primeira das cinco provas de 2021, o que acontecerá a 20 e 21 de Março, os carros do campeonato Extreme E e os respectivos pilotos tiveram direito a um teste de dois dias em Espanha, para se adaptarem e perceberem como um 4×4 eléctrico alimentado por bateria pode disputar provas tipo mini-Dakar.
Carlos Sainz Jr., o novo piloto da Ferrari na F1, fala da sua equipa Acciona:

O campeonato vai visitar cinco locais espalhados pelo globo, alguns dos quais em situação ambiental problemática. Após as dunas sauditas, onde se disputará o Desert XPrix, segue-se o Ocean XPrix no Lago Rosa, no Senegal (29 e 30 de Maio) e o Arctic XPrix em Kangerlussuaq, na Gronelândia (28 e 29 de Agosto). As derradeiras provas do campeonato Extreme E são o Amazon XPrix em Santarém, Pará, no Brasil (23 e 24 de Outubro) e o Glacier XPrix em Tierra del Fuego, na Argentina (11 e 12 de Dezembro).

Por pouco poluentes que sejam os buggies, deslocar toda a comitiva para aquelas regiões, primeiro de navio e depois de camião, dificilmente resultará num reduzido impacto ambiental. Mas, decididamente, pode ficar apaixonante em termos de imagens.

Os buggies eléctricos estão prontos para o Dakar? Sim e não

Os nove carros, denominados Odyssey 21, foram entregues às respectivas equipas, que tiveram oportunidade de testá-los durante dois dias em duas pistas distintas desenhadas no Motorland, em Aragão, Espanha. Além de perceber como o Odyssey 21 funciona e qual a melhor forma de o adaptar à forma de conduzir de cada piloto, este ensaio em grupo serviu ainda para muitos condutores se sentarem pela primeira vez ao volante de um buggy eléctrico de competição.
Carlos Sainz, vencedor do Dakar, vai estar aos comandos de um Extreme E:

Entre as nove equipas, destaque para a ABT Cupra, a única marca presente de forma oficial e onde sobressai o reputado Mattias Ekström (todas as equipas têm dois pilotos, um de cada sexo). Há três equipas associadas a pilotos de F1, como forma de atrair atenção, nomeadamente a Acciona/Sainz, que tem o pai Carlos Sainz ao volante e o seu filho e piloto de F1 igualmente muito envolvido, o Team X44 de Lewis Hamilton, em que o campeoníssimo Sébastien Loeb conduz um dos carros, e a Rosberg Xtreme Racing, de Nico Rosberg, com Johan Kristofferson a ser quem tem mais hipótese de disputar um dos lugares da frente.
O campeão do mundo de rallycross Timmy Hansen e o seu irmão testam o buggy 4×4:

Há duas equipas de raízes norte-americanas igualmente presentes, a Andretti United Extreme E e a Chip Ganassi Racing, a que se juntam ainda a Hispano Suiza Xite Energy Team, o Team Techeetah e a Veloce Racing. As provas serão necessariamente curtas, pois a bateria não dá para grandes milagres, especialmente em ritmo de competição, e o público não será um problema devido à dificuldade de acessos aos locais da prova, o que leva a organização a apostar na imagem e vídeo para animar a plateia.
A Cupra levanta a ponta do véu sobre o seu Extreme E:

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.