Com o piloto francês Guerlain Chicherit aos comandos, ele que já pilotou os BMW e os Mini oficiais no Dakar e até na Baja 500, em Portugal, os buggies eléctricos que vão participar no campeonato Extreme E parecem estar prontos para o arranque da competição que é organizada por Alejandro Agag, que também controla a Fórmula E. Todos os participantes no novo Extreme E terão à disposição modelos baseados no buggy a ser desenvolvido por Chicherit, denominado Odyssey 21.

Os veículos serão fabricados pela Spark Racing, que também produz os Fórmula E, com cada concorrente a poder depois alterar os pára-choques, faróis e parte dos painéis laterais, para que cada construtor que se interesse pela competição possa dotar os buggies do Extreme E com um aspecto familiar aos veículos que comercializa. De salientar que, para a concepção do chassi, a Spark contou com a colaboração do mago Adrian Newey, que desenhou alguns dos mais premiados F1 da McLaren e Red Bull. A capacidade da bateria não foi ainda revelada, mas sabe-se que o Odyssey 21 vai pesar 1650 kg e conta com um motor com 540 cv, que será capaz de ir de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos.

Chicherit testou o Odyssey 21 nas areias do Dakar, na Arábia Saudita, para ver como lidava com as dunas e pistas rápidas, mas não está previsto que o buggy vá ser submetido a provas com 15 dias de duração e etapas diárias de 1000 km, com troços cronometrados superiores a 800 km. O objectivo do Extreme E, sobretudo neste primeiro ano, consiste em provas de três dias com vários troços cronometrados, cuja extensão varia entre 6 e 10 km, tendo a vantagem de serem disputados em regiões onde os carros com motores a combustão, mais poluentes, não entram.

À semelhança da Fórmula E, a estratégia para o Extreme E passa por organizar provas curtas que sejam espectaculares. É claro que no Extreme E, por se disputar em zonas remotas, o espectáculo está ainda mais centrado no que se pode ver através da televisão. Em pista estarão três carros de cada vez, tudo pensado para optimizar o espectáculo para quem está em casa.

A primeira prova do Extreme E decorrerá entre 22 e 24 de Janeiro de 2021, no Lago Rosa, no Senegal, para os concorrentes visitarem de seguida, entre 4 e 6 de Março, Sharaan Al-Ula, na Arábia Saudita. A terceira prova do ano ocorre entre 6 e 8 de Maio no Nepal, em Kali Gandaki. De seguida, os participantes rumam à Gronelândia, em Kangerlussuaq, para depois a 5ª prova do ano definir o vencedor na Amazónia, em Santarém, no Brasil. Tudo zonas protegidas e onde o impacto das alterações ambientais é mais evidente.