Com 58 mortos, Portugal esta segunda-feira registou o número mais baixo de vítimas mortais por Covid-19 desde 21 de dezembro — dia em que o número de mortes foi de 57. Antes disso, é preciso recuar mesmo a 14 de novembro para ver um dia menos letal — então, com 55 mortes. Esta segunda-feira é por isso o segundo dia de dezembro com menos mortes, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado.

Em contrapartida, o boletim conta de mais 2.093 casos em todo o país, o que significa um aumento de 42,5% em relação ao dia de ontem, em que se registaram 1.577 casos. Contas feitas, desde o início da pandemia, Portugal já teve 396.666 casos do novo coronavírus e 6.677 óbitos registados devido a esta doença.

Portugal registou mais 58 mortes e 2.093 novos casos em 24 horas

Região Norte lidera em casos. Lisboa e Vale do Tejo regista maior parte das mortes

Do total de novos casos de Covid-19, há uma concentração a Norte. Dos 2.097 novos casos, 907 são na região do Norte — ou seja, 43,3% do total. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, onde foram registados 669 novos casos (31,9%). A terceira região mais afetada é o Centro (296 novos casos, 14,1%), seguindo-se o Alentejo (101, 4,8%), o Algarve (57, 2,7%), a Madeira (34, 1,6%) e por fim os Açores (29, 1,4%).

A nível de mortes, entre as 58 é a região de Lisboa e Vale do Tejo que tem mais registos: são 20, o que equivale a 34,5% do total. Logo atrás está o Norte, onde houve 19 mortes, ou seja, 32,6% do total de óbitos em todo o país. Depois, o Centro, com 14 mortes (24,1% do total). Fora destas três regiões, registaram-se ainda cinco mortes: 3 no Algarve e 2 no Alentejo.

Duas das 58 pessoas que morreram com Covid-19 nas últimas 24 horas tinham entre 50 e 59 anos — sendo que nenhuma delas tinha menos de 50 anos. De acordo com o boletim das DGS, do total de 58 mortes, uma (mulher) tinha entre 50 e 59 anos, 5 (quatro homens e uma mulher) tinham entre 60 e 69 anos, nove (quatro homens e cinco mulheres) tinham entre 70 e 79 anos e 42 (23 homens e 19 mulheres) tinham 80 anos ou mais.

Internamentos voltam a subir, embora haja menos uma pessoa em cuidados intensivos

A nível de internamentos, o boletim da DGS dá conta de uma subida de 97 doentes, subindo assim o total para 2967. Desde 26 de dezembro que esse parâmetro tem vindo a aumentar (no dia de Natal e nos três anteriores desceu sempre): 36 no dia 26/12, 80 no dia 27/12 e agora 97. A nível dos cuidados intensivos, há esta segunda-feira menos um internado. Assim, são 503 as pessoas que estão neste tipo de unidades.