A Turquia atirou para a equipa da União Europeia as culpas do episódio que já ficou conhecido como “Sofagate”. Numa conferência de imprensa, realizada esta quinta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, considerou as críticas entretanto feitas a Ancara como “injustas” e disse que “a disposição dos lugares foi feita em linha com a sugestão da UE“.

“Os nossos serviços protocolares encontraram-se antes da reunião e os seus pedidos [da UE] foram respeitados”, afirmou Cavusoglu, acrescentando que só revelou “este facto” devido às acusações contra a Turquia.

“A disposição dos lugares foi feita em linha com a sugestão da UE. Ponto final. Não teríamos revelado este facto se não tivessem sido feitas acusações contra a Turquia”, afirmou.

Von der Leyen sem direito a cadeira e Charles Michel junto a Erdogan. O gesto que está a gerar desconforto na UE

Em causa está uma reunião em Ancara que juntou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen. Enquanto que Erdogan e Michel tiveram direito a duas poltronas, ladeadas pelas bandeiras da UE e da Turquia, à única mulher na reunião, Von der Leyen, coube um sofá lateral.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No vídeo divulgado do episódio, a presidente da Comissão Europeia parece ficar surpreendida com a disposição dos lugares e solta uma interjeição hesitante — “Ehm” — enquanto abana os braços no que parece ser um gesto de interrogação.

O episódio está a suscitar críticas a Ancara. O governo austríaco apelidou o tratamento a Von der Leyen como “desrespeitoso”. A Comissão Europeia também já assumiu estar descontente. Numa conferência de imprensa realizada na quarta-feira, o porta-voz Eric Mamer admitiu que “a presidente claramente ficou surpreendida”, mas “preferiu colocar a substância à frente do protocolo ou da forma”, o que considerou ter sido “a atitude correta”.

As críticas também chegaram a Charles Michel, por aparecer sentado ao lado de Erdogan a esticar as pernas, enquanto Von der Leyen continua de pé, aparentemente hesitante com a disposição dos lugares. O presidente do Conselho Europeu já disse que não teve a intenção de parecer “insensível” à situação, e salientou os seus “princípios de respeito essenciais”.

A cadeira Erdogan e o regresso de Bernie Sanders

Para não variar, a internet apressou-se a reagir ao episódio do “Sofagate”, e começam já a circular memes a satirizar o momento. Há quem já tenha pensado numa cadeira “portátil e aprovada por protocolo” — chamada “Erdogan” — para aquelas ocasiões em que aparecem “mais pessoas do que o esperado”.

E ainda quem decida juntar numa imagem alguns dos episódios mais caricatos do ano — como o bloqueio no canal do Suez pelo navio Ever Given, ou a presença de Bernie Sanders, sentado, agasalhado e aparentemente incomado, na tomada de posse de Joe Biden.

Num outro meme, alude-se às tentativas da Turquia de integrar a UE.