Entre 2018 e 2019 morreram em Portugal 27 mulheres que estiveram grávidas. As mortes, que ocorreram na sequência de complicações na gravidez, parto e puerpério (até 42 dias após o parto) superaram em 2018 o número absoluto total que se tinha registado em 1991 (quando morreram 14 mulheres), embora com uma taxa superior — já que o número de nascimentos em 1991 foi de mais de 116 mil e em 2018 não chegaram a 87 mil — que se manteve elevada em 2019. Aliás, em 209 morreram 12,7 (por 100 mil nascimentos) das mulheres, quando em 1991 esse valor era de 12. É a taxa de mortalidade mais elevada dos últimos 30 anos.

Desde 2017 que o número de mulheres que morre em Portugal em sequência de complicações na gravidez, parto ou puerpério está acima de 10 do total de mulheres que engravida (por 100 mil nascimentos). Os dados preocupam os responsáveis e o argumento da “idade tardia” da mulher na altura da gravidez não parece suficiente para justificar o aumento. Em 2018, das 15 mortes 60% foram registadas em mulheres entre os 25 e os 34 anos e só as restantes foram em mulheres com idade entre os 35 e os 44 anos. Já nos dados mais recentes, apenas uma pequena franja das 12 mortes se registou na faixa dos 35 aos 45 anos (três mulheres), com oito mulheres dos 25 aos 34 anos a terem perdido a vida, bem como uma dos 15 aos 24.

Um dos motivos que pode estar na origem do aumento do número de mortes é a tendência cada vez maior de partos em casa. João Bernardes, presidente do Colégio de Especialidade de Ginecologia/Obstetrícia da Ordem dos Médicos considera preocupante “assistir a campanhas de parto no domicílio”, diz ao Jornal de Notícias recordando que da análise da DGS aos mortos registados em 2017 e 2018 mostrava que o “parto ao domicílio ou for do hospital foi responsável por cinco das 26 mortes maternas ocorridas” nesse período. João Bernardes aponta que a opção pelo parto fora do hospital “corresponde a uma mortalidade cerca de 25 vezes superior à do parto hospitalar”.

Mortes de mulheres antes, durante ou após o parto quase duplicam num ano

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Notícia atualizada às 8h26 para clarificar o número de mulheres mortas, por cada 100 mil nascimentos