A proposta é original: fazer com que besouros, gorgulhos e outros insetos da família que atacam as culturas agrícolas produzam tanta urina que acabem por morrer desidratados.

O objetivo é usar métodos mais ecológicos na agricultura, nomeadamente reduzindo o uso de pesticidas que têm um impacto significativo no ambiente e na saúde humana. Além disso, os pesticidas matam indiscriminadamente uma grande quantidade de seres vivos, incluindo os que são importantes para a produção de alimentos, como as abelhas.

Só na Europa, estima-se que a produção de alimentos caísse 50% se não se usassem pesticidas”, diz Kenneth Veland Halberg, investigador no departamento de Biologia da Universidade de Copenhaga.

Depois de estimular especificamente oito neurónios do besouro-castanho (Tribolium castaneum), a equipa liderada pelos investigadores da Universidade de Copenhaga identificou as hormonas que regulam a produção de urina nos rins dos besouros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A experiência mostrou-lhes como podem fazer com que essas hormonas estimulem a produção de tanta urina que estes insetos morram desidratados. Mas também lhes permitiu perceber que o sistema excretor dos besouros era muito diferente do de outros insetos.

Assim, esta estratégia podia ser dirigida especificamente a besouros e gorgulhos. Os pesticidas, pelo contrário, afetam o sistema nervoso que é semelhante em muitos insetos, logo, sem uma aplicação dirigida, pode matar muitos outros animais.

O primeiro passo está dado: identificar um alvo específico na praga que se quer combater. Mas o percurso até se chegar ao objetivo traçado ainda pode ser longo: por um lado, implica fabricar uma hormona sintética equivalente à do inseto; por outro, é preciso que a hormona entre dentro do organismo do besouro.

Ainda temos muito trabalho pela frente antes que uma nova forma de controlo de pragas veja a luz do dia “, conclui o professor associado Kenneth Veland Halberg.