Mais um: Rúben Amorim foi suspenso por seis dias pelo Conselho de Disciplina por declarações no final do encontro com o FC Porto, em outubro, e vai falhar o jogo com o Rio Ave esta quarta-feira, em Vila do Conde. Desta forma, e só esta época, o treinador vai cumprir 42 dias de suspensão e falhar um total de sete jogos oficiais, estando ainda em curso o processo onde é acusado de fraude na inscrição enquanto técnico principal.

A quarta expulsão de Rúben Amorim em Alvalade valeu suspensão por 15 dias. Técnico vai falhar três jornadas

“Faço mea culpa, pois não devia ter dito o que disse. Mas oiço aquilo todas as semanas e momentos antes ouviu-se pior de outro sítio. Mas os treinadores não podem dizer estas coisas. Aceito qualquer punição e castigo, já estou habituado… O que me revoltou foi a dualidade. Mas estamos sempre a aprender e crescer”, comentou a seguir a esse clássico Rúben Amorim, que logo na altura foi suspenso por seis dias pela expulsão. “A arbitragem teve influência no resultado. Temos tido azar com o VAR. No ano passado, em Moreira de Cónegos, um jogador nosso foi agarrado e não houve nada. Hoje igual. A arbitragem teve influência no marcador mas não no decorrer do jogo. Esse foi sempre nosso. Os jogadores estão de parabéns”, completou a 17 de outubro o treinador.

“Antes ouviu-se pior de outro sítio. Mas faço mea culpa”. Amorim assume erro mas critica “dualidade de critérios”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Passados seis meses sobre a data em que foram proferidas, o Conselho de Disciplina (CD) deliberou suspender Rúben Amorim por este ter expressado, no dia 17/10/2020, declarações em que, comentando a sua expulsão, se referiu à dualidade de critérios usada, por não ter sido igualmente expulso alguém que integrava o banco adversário – do FC Porto – e que havia assumido comportamento semelhante ao que o CD agora lhe imputa”, começa por anunciar o Sporting em comunicado, explicando também a punição em causa.

Rúben Amorim suspenso seis dias por expulsão frente ao FC Porto

“As imagens sobre o que se passou são, felizmente, do conhecimento público. A divulgação desta deliberação coincide, certamente por casualidade, com o dia em que Rúben Amorim prestou declarações sobre o processo que ameaça suspendê-lo por um período de um a seis anos. A deliberação ora conhecida pune injustamente o nosso treinador por um período de seis dias, nas vésperas do jogo contra o Rio Ave FC”, refere.

“Trata-se de uma deliberação injusta, desproporcional e que expõe a Justiça desportiva ao julgamento óbvio: as declarações do nosso treinador, no contexto em foram proferidas, não têm qualquer relevância quando comparadas com outras atitudes de outros agentes desportivos. De resto, é importante realçar que a instrutora do processo propôs o arquivamento dos autos, com uma leitura adequada das declarações, do contexto em que foram proferidas e dos regulamentos, proposta ignorada pelo CD, que teimosamente pretende ver naquelas declarações uma ofensa à equipa de arbitragem”, acrescenta ainda a missiva dos leões, abrindo mais uma vez a possibilidade de haver um recurso por parte do técnico ao Tribunal Arbitral de Desporto.

Liga acusa Sporting e Rúben Amorim de fraude na inscrição do técnico. Suspensão do treinador pode ir de um a seis anos

“A Justiça desportiva expõe-se, assim, ao ridículo de quem não procura a verdade nos processos e, numa interpretação ilegal dos regulamentos, pretende impor a lei da rolha a quem, justamente, se limitou a referir-se a uma injustiça que o vitimava e continua a vitimar. A Sporting CP – Futebol, SAD apoiará o treinador Rúben Amorim em todas as iniciativas contra esta deliberação ilegal e injusta, nomeadamente no recurso a interpor sobre ela junto do TAD e tudo fará para que, no futuro, a Justiça desportiva se foque nos enormes problemas que atravessa o futebol português. Mais vale tarde do que nunca”, conclui o comunicado.