Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O construtor britânico de veículos de luxo tem uma predilecção pela rampa de Pikes Peak, disputada nos EUA, que é simultaneamente um dos seus maiores mercados. Em 2018, a Bentley bateu o recorde do SUV mais rápido com o Bentayga W12 de 608 cv (em 10 minutos e 49,9 segundos), ultrapassando o Range Rover Sport, para no ano seguinte repetir a proeza com o coupé Continental GT de 635 cv, tornando o modelo o mais rápido de série a realizar a subida, em 10.26,9.

Este ano regressou à competição que é conhecida como a “corrida às nuvens”, por se disputar em altitudes raras para provas de competição. A partida tem lugar a 2900 metros de altitude (por comparação, a “nossa” Serra da Estrela tem apenas 1993 metros), para a linha de meta surgir a 4300 metros e já acima das nuvens, na maioria dos dias. Entre um ponto e outro, os pilotos têm de percorrer 20 km e 156 curvas, muitas delas com precipícios tão impressionantes quanto deslumbrantes.

Nesta edição, a Bentley rumou a Pikes Peak com reforçada ambição, tendo preparado um Continental GT de competição, de acordo com o regulamento da categoria GT3. A fazer-se representar, pela primeira vez, sem ser com um veículo de série, o fabricante britânico tinha hipótese de retirar um bom par de minutos ao seu tempo anterior, uma vez que o Continental GT3 estava consideravelmente aligeirado e a usufruir de enormes apêndices aerodinâmicos, para incrementar a velocidade de passagem em curva mesmo na zona mais alta, onde o ar mais rarefeito gera menos apoio.

A competição consta de apenas uma subida de prova, depois de várias de treinos, pelo que não há lugar para erros. O Continental GT3, cujo motor 4.0 V8 biturbo fornece 750 cv, devorou a rampa nos primeiros 2/3 do  percurso, tendo entrado na última parte da subida com 12 segundos de avanço para o rival mais próximo. Mas um problema no sistema de sobrealimentação impediu-o de manter o ritmo até final.

Mas mesmo sem o problema no turbo, o recorde estava fora de questão, uma vez que o percurso foi encurtado em virtude de o gelo ter feito questão em estar presente nos últimos quilómetros da rampa. Isto impediu, desde logo, que qualquer tempo que os concorrentes conseguissem registar pudesse ser considerado um recorde. A Bentley já garantiu que para o ano há mais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR