A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a investigar possíveis infrações relacionadas com as ações da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Benfica. Em causa, estão suspeitas de “abuso de informação”.

“Os eventos das últimas semanas evidenciam infrações passíveis de fazer perigar a integridade do funcionamento do mercado de capitais e a proteção dos investidores, nomeadamente na divulgação de informação ao mercado e de abuso de informação, as quais continuarão a ser investigadas”, lê-se no comunicado divulgado pela CMVM.

Nestes termos, e sem prejuízo da apreciação da relevância infracional da conduta das partes envolvidas nos recentes eventos, a CMVM continuará a acompanhar a evolução de qualquer aspeto do qual possa resultar a necessidade de prestação de informação adicional ao mercado, com intuito de zelar pela integridade do funcionamento do mercado de capitais, em defesa dos investidores”, lê-se ainda no comunicado.

Debaixo da mira da CMVM estará, particularmente, a Oferta Pública de Aquisição (OPA) falhada do Benfica e o  negócio para a venda de 25% das ações da SAD benfiquista por parte de José António dos Santos, conhecido como Rei dos Frangos, ao investidor norte-americano John Textor.

Vieira, Rei dos Frangos e investidor norte-americano estão na mira da CMVM

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No âmbito da Operação Cartão Vermelho, Luís Filipe Vieira e José António dos Santos são suspeitos , entre outros crimes, de omissão na transmissão de informação relevante ao mercado. De acordo com as regras do mercado, é necessário uma “divulgação atempada de novos factos”, sendo que o “abuso de informação” pode ocorrer quando são feitas negociações em segredo.

Ora, como o Observador já tinha noticiado, a CMVM está investigar a omissão de facto relevante por parte de José António dos Santos por não ter informado sobre o reforço da sua posição acionista qualificada, bem como a omissão por parte de John Textor e José António dos Santos para o acordo, assinado a 16 de junho, para a compra e venda de 25% do capital social da SAD do Benfica.

Acresce que o “abuso de informação” estará relacionado com o facto de Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, ter alegadamente informado antecipadamente José António dos Santos de que o Benfica iria lançar uma OPA de ações da SAD benfiquista em novembro de 2019 (que seria retirado em março de 2020 e chumbada pela CMVM em maio do mesmo ano).