Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O autoagendamento para pessoas a partir dos 20 anos, que estava planeado abrir a 14 de julho, deverá ser empurrado para a próxima semana para evitar que se criem filas de espera, noticia o jornal Público,uma vez que “há sítios que já esgotaram as vagas que havia para o autoagendamento”,  já tinha confirmado na terça-feira o vice-almirante Gouveia e Melo, líder da task force. A abertura do portal nos próximos dias deverá abranger em simultâneo também os jovens a partir dos 18 anos.

As mudanças de calendário do plano de vacinação devem-se sobretudo à diminuição da quantidade de doses a chegar a Portugal e da necessidade em assegurar a inoculação de segundas doses das vacinas. O adiamento acabará também por afetar as primeiras vacinas dos jovens que não deverão arrancar antes do mês de agosto.

Na terça-feira, à margem de uma cerimónia de homenagem em Vila Real, Gouveia e Melo disse que “não há vacinas para milhões de pessoas” e isso explica que algumas pessoas não consigam autoagendar a vacinação devido à elevada procura face ao número de vacinas disponíveis. “O país tem concelhos diferentes com capacidades diferentes. Há sítios em que já se esgotaram as vagas que havia para o autoagendamento, e há outros sítios em que não se esgotaram”, afirmou Henrique Gouveia e Melo. “As vagas para agendamento disponíveis no portal são geridas de acordo com uma matriz, elaborada em função da disponibilidade de vacinas e da capacidade de vacinação dos locais”, explicou à Lusa uma fonte da task force.

O coordenador da task force não especificou, no entanto, os locais onde as vagas para o autoagendamento estão esgotadas dentro dos cerca de 300 centros de vacinação. Mas o Público apurou que em 11 dos 18 distritos portugueses não existem datas para autoagendamento da vacina: Porto, Braga, Coimbra, Viseu, Aveiro, Beja, Évora, Faro, Leiria, Portalegre e Viana do Castelo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“As pessoas que chegaram primeiro e se autoagendaram estão à espera, quando estas forem vacinadas abrirão vagas para essas pessoas”, explicou o vice-almirante. Gouveia e Melo fez questão de frisar ainda que “as vacinas estão a ser distribuídas de forma proporcional à população desse território” e que a percentagem de vacinação no território é “muito igual”.

Ao Público, Gouveia e Melo relembra que em alguns concelhos, sobretudo do interior, onde a vacinação dos mais velhos está mais adiantada, tem sido possível que jovens de 20 anos estejam a ser convocados localmente para a vacinação.

A 12 de julho ficou disponível o autoagendamento da vacina contra a Covid-19 para pessoas com 23 ou mais anos no portal da Direção-Geral da Saúde destinado a estas marcações.

O processo de vacinação em Portugal, que já ultrapassou as 10 milhões de inoculações, foi acelerado nas últimas semanas devido a um número maior de vacinas recebidas. O portal para autoagendamento entrou em funcionamento a 23 de abril para pessoas com 65 ou mais anos e, desde então, tem ficado disponível para marcações das faixas etárias dos 50, 40 e 30 e, o passo seguinte seria o dos 20 anos. Até à data cerca de 2,5 milhões de pessoas já autoagendaram a sua vacina.