Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Facebook está a preparar uma mudança de nome da empresa, que é dona da rede social mais popular do mundo, e o anúncio pode ser feito já na próxima semana, noticia o The Verge. Trata-se de um rebranding que tem como objetivo salientar não só as outras redes sociais detidas pela empresa de Mark Zuckerberg (como o Instagram) mas, também, as outras operações que hoje estão sob o “chapéu” do grupo Facebook, desde o Whatsapp até aos investimentos em realidade virtual (Oculus).

Em termos simples, poderá ser uma mudança de nome semelhante à que a Google fez quando o seu “império” cresceu e a empresa preferiu mudar o nome do grupo para Alphabet. Já em julho Mark Zuckerberg tinha dito, à mesma publicação, que nos próximos anos o Facebook iria “fazer uma transição de sermos vistos como uma empresa de redes sociais para sermos mais vistos como um grupo metaverso”, uma alusão àquilo que alguns especialistas dizem ser a próxima grande tendência na tecnologia: a fusão entre o mundo real e o mundo digital, através de técnicas como a realidade aumentada.

Este rebranding também surge numa altura em que Mark Zuckerberg e o Facebook têm estado sob intenso escrutínio público devido à forma como funcionam as redes sociais como o próprio Facebook e, também, o Instagram.

As frases que o Facebook escondeu sobre o mal que o Instagram faz aos jovens

As redes sociais foram notícia recentemente, também, pelas falhas técnicas que levaram a um longo “apagão” nos seus serviços.

Apagão no Facebook deveu-se a uma mudança de configuração “defeituosa”. Dados de utilizadores não terão sido comprometidos