Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os talibãs assassinaram uma jogadora da seleção de juniores de voleibol, do Afeganistão. Mahjabin Hakimi, noticia o jornal espanhol ABC.

Apesar de Mahjabin Hakimi ter sido decapitada pelos extremistas no início de outubro, só se soube na última terça-feira. Em entrevista ao Independent, uma treinadora da jovem, que não revelou o seu nome, por razões de segurança, afirmou que os pais da jogadora não noticiaram a sua morte devido a ameaças por parte dos talibãs.

A ativista Sahraa Karimi partilhou, no Twitter, rede social onde tem mais de 160 mil seguidores, uma fotografia onde aparece Mahhabin, uma das grandes promessas do voleibol afegão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os talibãs têm perseguido as mulheres que procuram praticar desporto no país, principalmente as que participam em torneios internacionais, recorda o jornal ABC.  Ainda há um mês a BBC denunciou, as ameaças dos fundamentalistas islâmicos que agora governam o Afeganistão a atletas de seleções nacionais de vários desportos. Foi então notícia a morte de uma jogadora da equipa nacional sénior.

Jogadoras afegãs refugiadas em Portugal surpreendidas pela capitã da seleção de futebol. Esta quinta-feira vão voltar a calçar as chuteiras

Zahra Fayazi, membro da equipa técnica da seleção de voleibol, e ex-jogadora, que conseguiu fugir para o Reino Unido, descreveu a situação que as atletas afegãs enfrentam:

As nossas jogadoras tiveram de abandonar as suas províncias, e ir viver para outros sítios. Elas tiveram, até, de queimar o seu equipamento desportivo, para se salvarem, e para salvar as suas famílias. Não queriam ter com elas nada relacionado com desporto. Estão assustadas.”, disse Fayazi.

Os relatos de perseguição, por parte de talibãs, a mulheres, através de medidas como a proibição da prática desportiva ou do acesso à educação, têm-se vindo a acumular desde que os talibãs assumiram o controlo do Afeganistão.

“O Afeganistão está muito perigoso”, conta jogadora afegã em Portugal