Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Renault voltou atrás na sua decisão de não dotar o futuro Mégane eléctrico mais acessível com um sistema de carga rápida, depois de muitas críticas por parte dos potenciais clientes. Apesar da reduzida capacidade da bateria, de somente 40 kWh, similar ao mais acessível dos Zoe actuais, a decisão do construtor francês em limitar o Mégane a carregar exclusivamente em AC (corrente alternada), com uma potência de 7 kW (de série), ou 22 kW (opcional), levaria a um período de carga de 7 horas, ou de 2,5 horas, consoante o caso, período muito superior ao de qualquer concorrente.

Após revelar o Mégane E-Tech Electric no salão automóvel de Munique, em Setembro, a Renault colocou online o configurador do crossover no mês seguinte. O Mégane 100% a bateria surgiu então como o primeiro eléctrico da marca francesa a usufruir de uma plataforma nova e específica para eléctricos, a CMF-EV, disponibilizando apenas duas versões, com outros tantos níveis de potência e capacidades de bateria.

O Mégane menos potente (e necessariamente mais acessível) montará a bateria mais pequena (40 kWh) para ser mais leve e barata, associada a um motor com 131 cv instalado à frente, que garantirá uma autonomia de 300 km em WLTP. A versão mais potente vê a potência do único motor subir para 218 cv, recorrendo a um acumulador com 60 kWh de capacidade para assegurar a possibilidade de percorrer 470 km entre recargas.

Ao contrário do que decidiu fazer com a versão de 40 kWh, que originalmente só podia recarregar em AC, o Mégane com 60 kWh pode carregar a 7 ou 22 kW em AC, mas aceita igualmente cargas rápidas em DC (corrente contínua) com potências de até 130 kW, agilizando as recargas da bateria. Segundo a imprensa alemã, a Renault admitiu o erro sob a pressão dos clientes, com a solução encontrada a passar por criar duas versões com 40 kWh, uma mais barata com 131 cv e capaz de recarregar a 7 ou 22 kW em AC, e uma segunda com 218 cv, que alia aos 7 ou 22 kW em AC, a possibilidade de recarregar a 130 kW em DC.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR