Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi numa reunião com os líderes do partido conservador alemão que Angela Merkel alertou para a insuficiência das medidas em vigor para conter a Covid-19 e apelou a mais restrições.

“Estamos numa situação altamente dramática. O que está agora em vigor não é suficiente”, disse segunda-feira a chanceler alemã, numa reunião com líderes da União Democrata-Cristã, avança a agência Reuters, que cita dois participantes neste encontro.

Nesta reunião, Merkel alertou ainda para o risco de rutura de alguns hospitais, caso a quarta vaga de Covid não seja controlada.

A incidência de infeções na Alemanha tem estado a atingir novos recordes todos os dias nas últimas duas semanas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No estado de Saxónia, por exemplo, a incidência dos últimos sete dias subiu para 1.000 casos por 100.000 pessoas, quase três vezes mais que a média nacional.

A taxa de vacinação na Alemanha continua abaixo dos 70%, atrás de países como França, Itália e Espanha. O número total de mortes o país aproxima-se agora dos 100.000.

Merkel lamentou que muitos cidadãos não reconheçam a gravidade da situação, e sublinhou que a vacinação não chega para controlar os surtos. A chanceler apelou aos 16 estados do país, que, regra geral, determinam as suas próprias medidas anti-Covid, para que adotem mais restrições ainda esta semana.

Merkel, que deverá deixar o cargo no próximo mês após 16 anos no poder, tem redobrado os apelos para a Alemanha reforçar os esforços no combate à pandemia.