Quem é?

Chama-se Maria Clara Vasconcellos, tem 19 anos (feitos a 29 de maio) e é um dos nomes mais promissores da moda em Portugal. Porquê? É uma modelo portuguesa que, em 2016, desfilou nas quatro grandes semanas de moda para marcas reconhecidas como Valentino e Dior.

Gonçalo M. Catarino / KAEOT

1997

A infância

Filha de uma ex-produtora de televisão e de um jornalista da RTP África, Maria Clara é natural de Lisboa mas passou a infância em Cabo Verde. Já na adolescência passou férias em São Tomé e Príncipe a fazer companhia ao pai que, atentamente, registava os melhores momentos de infância com uma máquina fotográfica.

2000

A primeira campanha publicitária

Maria Clara — Clarinha para os amigos — foi descoberta aos três anos de idade, na praia, pelo seu ar nórdico. Depois de agenciada na L’Agence Kids, começou a dar a cara por catálogo sueco chamado Josefssons Josefine e a ser fotografada por outras marcas internacionais da Alemanha e Suécia.

2001

O pequeno talento

Seguiram-se anúncios de Natal para o Continente, ao lado de Leopoldina, com quatro anos de idade. Na altura, Maria Clara ainda era uma criança de olhos verdes e de cabelo loiro escuro aos caracóis com o sonho de seguir uma carreira de modelo e vaidade para dar e vender.

2003

O ballet clássico

Aos seis anos apaixonou-se pela dança contemporânea e pelo ballet clássico, que praticou até aos 16. Pelo meio experimentou hip hop, jazz e ritmos latinos, mas foi a disciplina e rigidez dos movimentos clássicos que conquistaram a jovem manequim.

2004

“Era uma vez…”

Assim começava o anúncio televisivo da Sociedade Ponto Verde que apelava à reciclagem em ecopontos. A frase era dita por Maria Clara, que aos sete anos deu a cara pelo anúncio publicitário. Até aos 10, foi apresentada aos portugueses durante os intervalos de televisão.

Sociedade Ponto Verde

2008

A pausa da adolescência

Quando tinha apenas 12 anos, Maria Clara viu-se obrigada a fazer uma pausa de cinco anos na promissora carreira para usar aparelho dentário. Ao crescer, manteve uma alimentação equilibrada e preservou a cara de boneca com traços angelicais.

2013

O aguardado regresso

Em outubro de 2013, com 16 anos e ainda de aparelho, venceu o concurso de modelos L’ Agence Go Top Model. O primeiro indício de que teria o talento necessário para vingar na profissão. Não demorou muito tempo até receber um contrato de agenciamento por parte da agência Next Model Managment, em Londres.

2015

O primeiro desfile

Quase com 18 anos, Maria Clara estreou-se na passerelle ao lado de Jourdan Dunn, no desfile Fashion For Relief organizado por Naomi Campbell em Londres. Na mesma altura entrou numa campanha para os criadores portugueses Luís Buchinho e Diogo Miranda e desfilou, pela primeira vez, na ModaLisboa e Portugal Fashion.

Ugo Camera / Portugal Fashion

A tão esperada maioridade

Dos desfiles solidários aos editoriais de moda em revistas internacionais, Maria Clara atingiu a maioridade a 29 de maio de 2015 e passou a conseguir viajar sem a autorização dos pais. No mesmo ano inscreveu-se na licenciatura de Marketing e Publicidade. Mal sabia que não ia lá pôr os pés.

Nylon Indonesia

A primeira semana de moda internacional

Em setembro, estreou-se na semana de moda de Londres e Milão para se adaptar ao mercado e treinar um andar de passerelle diferenciador. “Funciona como uma imagem de marca”, explicou em entrevista ao Observador. Desfilou para marcas como Christopher Kane e Marco De Vincenzo. Desde então, nunca mais desfez as malas.

Getty Images

2016

Novo ano, nova franja

Depois da ModaLisboa e do Portugal Fashion (e de dar a cara pelas campanhas de Luís Carvalho e Luís Buchinho), Maria Clara recebeu o novo ano com um penteado à altura. Criadores como Manémané e Christopher Kane insistiam em aplicar-lhe extensões de franjas nos desfiles e a manequim decidiu aderir às “baby bangs”.

Gonçalo M. Catarino / KAEOT

O ponto de viragem

Ainda hoje culpa a franja por ter conseguido entrar no casting da Gucci e, posteriormente, pisar a passerelle da marca na Via Valtellina, em Milão. “O Alessandro Michele e toda a equipa foram impecáveis”, confessa. Em fevereiro, desfilou ainda para Just Cavalli, Hogan e, pela segunda vez, para Marco di Vicenzo.

Getty Images

O look camaleónico

Na indústria da moda, Maria Clara é admirada pela capacidade de adaptar a sua imagem consoante o trabalho. Com 1,78 metros de altura e um rosto angelical e arrojado, a modelo conjuga uma voz doce de tom sereno com uma ética de trabalho madura.

Lab Admin

As inspirações

“Karlie Kloss”, responde num piscar de olhos. “É honestamente simpática e consegue fazer todos os tipos de trabalho.” Não será de estranhar que Maria Clara seja conhecida pela humildade que cativa fotógrafos, criadores e agências como a L’Agence, a Next (Nova Iorque, Milão e Londres) a M4 Models (Hamburgo).

Alexandra Moura

A paixão pelos bastidores

“Estranhamente, os bastidores das semanas de moda internacionais são super organizados e tratam-nos melhor do que possam pensar”, diz a modelo. “Os grandes estilistas têm imensa consideração pelo nosso trabalho e temos horas definidas para comer, descansar e trabalhar.”

Carla Pires / Observador

A cidade favorita

“Milão tem qualquer coisa de especial”, confessa ao Observador. “Mas a cidade que mais gostei de visitar foi Veneza.” Já na mala de viagem carrega sempre a marmita e alguns snacks para manter uma alimentação saudável e equilibrada, até nos dias mais imprevisíveis.

Alexandra Moura

2016

O look 35 em Valentino

Em março, concretizou o grande sonho de desfilar para Valentino. “É uma das minhas marcas favoritas desde pequena e nem queria acreditar quando pisei a passerelle”, admite. Seguiram-se os desfiles de Kenzo, Courrèges, Julie David, Drome, Yang Li, Rochas e Luís Buchinho, na Semana de Moda de Paris.

AFP/Getty Images

O reconhecimento nacional

Depois de Valentino, Maria Clara acumulou em apenas duas semanas mais de uma dezena de trabalhos de sucesso no circuito internacional. Números como este colocaram-na por baixo dos holofotes da imprensa nacional.

Luís Sustelo / Cristina Real

À terceira é de vez

Como um dos nomes mais promissores na indústria da moda, Maria Clara foi a estrela da 47ª edição da ModaLisboa e da 38ª edição do Portugal Fashion, em março deste ano. A manequim ficou responsável por abrir e encerrar grande parte dos desfiles.

Ugo Camera / Portugal Fashion

Os Globos de Ouro

A um mês de celebrar 19 anos, Maria Clara acorda com duas nomeações para os Globos de Ouro na categoria de “Revelação do Ano” e de “Melhor Modelo Feminino”, ao lado de Sara Sampaio, Daniela Hanganu e Francisca Perez. Perdeu ambos os galardões mas deslumbrou em Ermanno Scervino na passadeira vermelha.

Globos de Ouro

A arte de interpretar

“Na minha profissão, adoro interpretar papéis diferentes”, confessa ao Observador. Da mulher frágil de Valentino à mulher romântica, típica dos anos 70, de Filipe Faísca (na foto), Maria Clara muda de personagem consoante a roupa que veste. “Ser modelo é como ser atriz. A diferença é que não posso falar.”

Carla Pires / ModaLisboa

As comparações com Sara Sampaio

Maria Clara pode não ser um nome tão conhecido como Sara Sampaio, famosa anjo da Victoria’s Secret, mas não existe rivalidade. “Não se pode propriamente comparar porque adoro trabalhos editoriais onde posso experimentar posições estranhas mas também consigo ter um rosto mais comercial”, diz Maria Clara.

Instagram / @sarasampaio / @mariaclara.v

Uma cara familiar… na Zara

Um dos melhores exemplos das campanhas comerciais de que fala a modelo é aquela que ainda se pode encontrar na loja online da Zara, onde veste as roupas da marca com um sorriso no rosto.

Zara

2016

A segunda vez em Gucci

A 2 de junho, a modelo participou pela segunda vez num desfile da Gucci, nos claustros da abadia de Westminster, em Londres. Desta vez desfilou com as propostas da coleção “cruise” da marca italiana, praticamente irreconhecível com um lenço na cabeça e um par de óculos.

Getty Images for GUCCI

Do pronto a vestir à alta costura

Ao currículo somaram-se editoriais para a Vogue Russia, Teen Vogue, a revista Harrods, lookbooks para a Just Cavalli e Roland Mouret e campanhas para a Decenio e Luís Carvalho. O pontapé de partida para se estrear na Semana de Alta-Costura de Paris em Valentino, Schiaparelli e Francesco Scognamiglio.

AFP/Getty Images

A estreia em Dolce & Gabbana

A grande conquista da temporada veio embrulhada no desfile de alta costura, primavera/verão 2017, da marca Dolce & Gabbana, em Nápoles. A prova de que Maria Clara já conquistou um lugar no universo da moda internacional.

Dolce & Gabbana / Getty Images

A primeira temporada completa

Com um total de 37 desfiles, em setembro celebrou a sua primeira temporada completa nas quatro grandes semanas de moda de Nova Iorque, Milão, Londres e Paris — Dior, Lacoste, Rodarte, Rochas, Dries Van Noten, Coach e Emilio Pucci incluídos. Com a ModaLisboa e o Portugal Fashion, chegou aos 49 desfiles num mês.

Getty Images

A modelo revelação portuguesa

A 22 de outubro, recebeu da GQ Portugal o prémio “Modelo Revelação do Ano”. “A carreira dela não tem mais do que dois anos, mas Maria Clara já conquistou as passerelles com a sua jovialidade e olhar provocador”, justificou a revista portuguesa aquando da entrega do galardão.

Ugo Camera / Portugal Fashion

2017

O futuro

“Fiz trabalhos para marcas como Moschino, Calvin Klein, MaxMara e já concretizei o sonho de desfilar para Valentino, mas adorava vestir as propostas de Elie Saab, Marc Jacobs e Alexander Wang”, confessa Maria Clara. Na lista de objetivos a longo prazo entra ainda o desejo de ser capa da Vogue norte-americana.

Ugo Camera / Portugal Fashion