758kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

i

www.plate.pt

www.plate.pt

Planos para os próximos feriados? Nós temos!

Quem não adora um bom feriado? É a desculpa perfeita para passar mais tempo em família. E se nunca sabe que plano preparar para esses dias, não se preocupe, hoje vamos dar-lhe muito por onde escolher!

Vamos imaginar que está um feriado quase a bater-nos à porta (e não é que está mesmo?) e que desta vez é proibido passar o dia em casa. Não que esse seja um mau plano, mas a verdade é que existem muitos cantos – e recantos – prontos a serem descobertos pelo Centro de Portugal. Num país que é tão nosso, porque não aproveitar este dia extra para ficar a conhecê-lo ainda melhor num fim de semana prolongado? Se este for daqueles feriados que dá direito a ponte, a boa notícia é que pode sempre fazer mais uma paragem!

Comecemos pela Região de Aveiro. Para aqui passear, não se esqueça de levar as bicicletas. Nesta região onde a terra se encontra com o mar – e se transforma em Ria – a promessa é a de dias muito bem passados, tanto para miúdos como para graúdos. O que sugerimos é um passeio em Ílhavo, pela turística marginal, com vista para os Palheiros da Costa Nova: as antigas casas dos pescadores, conhecidas pelas suas cores e riscas.

Antes de seguir viagem, há tempo ainda para ir até Aveiro, a belíssima “cidade dos canais”, e usufruir, sem pressas, da sua vasta rede museológica, passear pelas salinas ou usufruir da Arte Nova que cobre as fachadas de muitos dos seus edifícios. Antes de voltar para casa, Ovar é também uma paragem obrigatória. Propomos que faça o percurso da Rua do Azulejo e, no final, experimente pintar um azulejo numa das oficinas. Que melhor forma existe para recordar esta viagem do que uma obra-prima feita pelas suas próprias mãos?

Azulejos, Ovar

Siga pelos 65 Km da Ecopista do Vouga, aos quais se somam os 52 Km da Ecopista do Dão. Ladeadas por paisagens deslumbrantes, ambas convidam à realização de passeios pedonais, de bicicleta, patins ou cadeira de rodas. Percorrem os concelhos de Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Oliveira de Frades, Vouzela, São Pedro do Sul, Viseu, Tondela e Santa Comba Dão, através de um traçado contínuo com quase 120km.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E já estamos na região de Viseu Dão Lafões. Aqui encontrará razões suficientes para parar e apreciar, vivendo a vida em família em plena harmonia. Património natural e cultural não falta, e, por isso, é nos Trilhos de Carregal do Sal que poderá começar a visita. Se gosta de caminhar, as paisagens e os trilhos entre o Dão e o Mondego são a desculpa perfeita para o fazer e prometem ser capazes de cortar a respiração. Ainda sem deixar a vila, o Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria é uma ótima paragem para acrescentar à lista.

Se o que procura é ainda uma atração para todas as gerações, saiba que em Tondela pode visitar o Museu do Caramulo. Conta com um espólio de cerca de 100 automóveis – desde veículos de alta competição, veículos da Segunda Guerra Mundial, a carros presidenciais -, mas não só. Aqui poderá fazer as delícias dos miúdos com a exposição permanente de brinquedos antigos e miniaturas de coleção.

 

Avance até Viseu, a cidade de Viriato, onde contemporaneidade e modernidade convivem de forma harmoniosa. Percorra, a pé, o centro histórico, a Sé de Viseu, o Museu Nacional Grão Vasco e os quadros de arte urbana a céu aberto, que surpreendem a cada esquina.

Se “Coimbra tem mais encanto na hora da despedida”, é preciso conhecê-la para perceber de facto a sua magia. Aproveite para descobrir melhor a “cidade dos estudantes”. Visite o Museu Nacional de Machado de Castro, edificado sobre o Criptopórtico Romano, construído em meados do século I para suportar o fórum, centro cívico e religioso da cidade.

 

Na Igreja de Santa Cruz, Panteão Nacional, admire os túmulos reais de D. Afonso Henriques e do seu filho e sucessor, D. Sancho I. Mesmo ao lado, delicie-se com os crúzios, num café com 100 anos de história. E se esta for uma viagem com crianças, o Portugal dos Pequenitos é paragem mais do que obrigatória.

Convidamo-lo, depois, a alargar os seus horizontes até ao interior desta região, bem no coração da Serra da Lousã, um território mágico, rico em aldeias típicas e encantadoras. Na aldeia da Cerdeira, por exemplo, poderá passar um tranquilo dia em família, frequentar workshops de brinquedos de madeira, cozinha regional, casas de xisto, carpintaria ou de desenho. O melhor de tudo é que não só há muito para fazer, como para provar. Ou não tivesse já sido esta, distinguida como Região Europeia de Gastronomia! E se os olhos precisam de tempo para tudo absorver, o palato também. Será daquelas escapadinhas que ficará na memória de toda a família!

Acha que ficamos por aqui? Desengane-se! Quando lhe dizemos que o Centro de Portugal tem muito para lhe oferecer, não estamos a exagerar. Chegou a altura de ficar a conhecer melhor a região das Beiras e Serra da Estrela. Com o seu teto nevado e estrelado, aqui a natureza mantém-se autêntica e bem preservada. Parta à descoberta desta região, subindo até ao ponto mais alto de Portugal Continental: a Torre. E mesmo que não haja neve, não deixe de subir até ao seu cimo, a 1.993 metros de altitude. Prometemos que o ar puro e as paisagens a perder de vista não o deixarão indiferente.

É altura de seguir caminho pelos rochedos como a Cabeça da Velha; covões como o Covão d’ Ametade e o Covão do Boi, onde encontrará o Altar da Nossa Senhora da Boa Estrela; a Cascata do Poço do Inferno; a Lagoa Comprida; a do Vale do Rossim… opções não faltam. Não se esqueça de parar pelo caminho para desfrutar do belo Queijo Serra da Estrela DOP e do pão de Seia, bem como do borrego assado e dos famosos enchidos.

Cascata do Poço do Inferno, Manteigas

No interior do país encontram-se pequenos oásis, perfeitos para escapar à azáfama dos dias. Por exemplo, no Fundão, para além de toda a oferta típica associada às Aldeias do Xisto, poderá dormir num domo, um quarto panorâmico, onde apenas terá o céu estrelado por companhia.

Seguimos até à Região de Leiria. Ao chegar à Batalha, é pelo Mosteiro de Santa Maria da Vitória, um dos 4 lugares Património Mundial do Centro (Mosteiro da Batalha, Mosteiro de Alcobaça, Convento de Cristo em Tomar, e Universidade de Coimbra, Alta e Sofia), que deve iniciar a visita. Ali bem perto, e de visita obrigatória, está o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota.

 

Aventure-se de forma subterrânea pelas Grutas da Moeda, de Mira de Aire, de Alvados e de Santo António, onde poderá descobrir estalagmites e estalactites. Visite Leiria, onde para os amantes de literatura, a Rota d’O Crime do Padre Amaro, no centro histórico de Leiria e início no Jardim Luís de Camões, é atração para acrescentar ao roteiro. Esta é uma região rica em história e cultura. Castelos como o de Leiria, Pombal, Ourém e Porto de Mós, são disso testemunho.

O feriado está quase a acabar, mas ainda sobra tempo para conhecer melhor a região do Médio Tejo. Aponte no caderno ou telemóvel o que aqui pode visitar: o Parque Ambiental de Santa Margarida, as mais de 50 mil borboletas no Borboletário Tropical, o Centro Ciência Viva do Alviela, o Castelo de Almourol, o Centro de Interpretação Templário ou o Convento de Cristo, em Tomar.

 

E se por aqui passar, não deixe de provar os seus doces conventuais – as “Fatias de Tomar” ou os “Beija-me Depressa” são dignos de serem saboreados devagar!

A região Oeste é sempre sinónimo de um feriado passado de forma luminosa e capaz de aquecer a alma. Comece por atravessar a Porta da Vila de Óbidos e fique a conhecer esta que é uma das Sete Maravilhas de Portugal. Deambule pelas suas ruas e ruelas, prove a famosa Ginja e deixe-se encantar pelos seus recantos, com a certeza de que será difícil arranjar vontade para de lá sair. Siga depois para as Caldas da Rainha e visite o Museu José Malhoa, inserido no Parque D.Carlos I; o Buddha Eden Garden, no Bombarral; ou o Dino Parque, na Lourinhã. Mas não se esqueça de levar a câmara, porque este será, certamente, um destino recheado de bons momentos e muitas gargalhadas.

Vila Medieval, Óbidos

Achava que voltava para casa sem visitar a Beira Baixa? Se o fizesse, iria perder o belo passeio de barco em Vila Velha de Ródão, um passeio pelo meio de belas paisagens que vão até ao Monumento Natural das Portas de Ródão, passando ainda pelas colónias de grifos, abutres e cegonhas, pelo Conhal do Arneiro e a barragem de Cedilho. E se preferir caminhar, também o poderá fazer, indo à descoberta dos Percursos Pedestres de Vila Velha de Ródão.

Caminho do Xisto da Foz do Cobrão, Vila Velha de Ródão

Depois de almoço, rume até Castelo Branco e desfrute do Miradouro de São Gens, das ruínas do Castelo Templário e do Centro de Interpretação do Bordado, onde será obrigatório entrar numa loja de comércio local e levar uma lembrança, ou duas – um Bordado de Castelo Branco e um queijo da Beira Baixa para comer pelo caminho.

 

As novas 10 Rotas Temáticas de Castelo Branco são ainda uma atração capaz de agradar a toda a família. No caso dos mais novos, o Geopark Naturtejo, no Parque Tecnológico de Penha Garcia, é sucesso garantido. Para terminar o dia em beleza, faça um desvio por Oleiros e visite as Cascatas da Fraga de Água d’Alta, o geomonumento da Garganta do Zêzere e os Meandros do Zêzere, a partir da Aldeia do Xisto de Álvaro.

Como vê, razões não faltam para sair de casa e aproveitar a vida em família. As memórias são para ser vividas – e construídas – e nem sempre é preciso esperar por dias especiais para o fazer. Basta um simples feriado para transformar uma viagem pelo Centro de Portugal na mais especial das lembranças. A promessa é a de voltar para casa com energias renovadas, recordações deliciosas e mais umas quantas fotografias para juntar ao álbum de família!

turismo do centro

 

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.