Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No Porto, naquela que é uma das três moradas da Talkdesk em território nacional, Tiago Paiva estava “a jogar em casa”. “Há quase dois anos que não faço um discurso em português”, começou por dizer a uma plateia onde estava a família do empreendedor de 32 anos, natural de Vale de Cambra, o secretário de Estado da Economia João Correia Neves, e o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

A quem estava presente, Tiago Paiva recordou o início da startup que em outubro foi avaliada em mais de mil milhões de dólares e que, por isso, entrou no clube dos “unicórnios”. Foi uma aventura que lhe mudou a vida, contou. “Um dia estava no Estádio da Luz, a ver um jogo do Benfica, e recebi um email que dizia: ‘Aparece na América daqui a dois dias’. Fiquei na dúvida se estariam a falar da Avenida dos Estados Unidos da América em Lisboa ou da América mesmo.” Quando comunicou a decisão à família, a avó chegou a dar-lhe 50 euros para não viajar. “Achava que era perigoso e que ia ser raptado”, contou.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.