Um vídeo que está a ser partilhado no Facebook sugere que Bill Gates é o responsável pela pandemia de Covid-19. As imagens alegam que o fundador da Microsoft teve um retorno de 200 mil milhões de dólares depois de um investimento de 10 mil milhões em vacinas e mostra notícias de meios de comunicação norte-americanos com títulos como “Bill Gates: o melhor investimento que eu já fiz”, deste artigo do Wall Street Journal, e “Bill Gates: o meu ‘melhor investimento’ transformou 10 mil milhões de dólares em 200 mil milhões de benefícios económicos”, que  pertence a esta notícia da CNBC.

O texto que acompanha o vídeo partilhado afirma que o fundador da Microsoft “é um dos maiores filantropos do mundo”, e num dos frames pode ler-se “Notícia de última hora: Bill Gates é o principal suspeito pela pandemia de Covid-19”.

Alguns segundos do vídeo partilhado na publicação — que mostram uma alegada notícia de última hora — pertencem a uma entrevista realizada pela cadeia de televisão CNBC, cuja imagem foi alterada para acrescentar a frase “Bill Gates torna-se o principal suspeito pela pandemia de Covid-19”. O rodapé não existe no vídeo original. Não existem, de resto, referências oficiais que sustentem a ideia de que o fundador da Microsoft seja suspeito de estar na origem da pandemia — ao mesmo tempo, fica claro que, ao longo do último ano, Gates foi uma das principais figuras mundiais visadas em teorias conspirativas e textos de desinformação relacionados com a criação e a propagação da Covid-19.

Tanto o artigo publicado pela CNBC sobre a conversa com o fundador da Microsoft como o vídeo que mostra a entrevista original desmentem que o fundador da Microsoft seja o responsável pela pandemia de Covid-19. No texto, a cadeia televisiva explica que quando Bill Gates fala num investimento de 10 mil milhões de dólares em vacinas, o fundador da Microsoft referia-se a doações da Bill and Melinda Gates Foundation destinadas maioritariamente a três organizações humanitárias, a Global Alliance for Vaccines and Immunization, o Global Fund to Fight AIDS, Tuberculosis and Malaria, e a Global Polio Eradication Initiative.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante a entrevista Bill Gates, explica que o investimento de 10 mil milhões de dólares em vários tipos de vacinas — não só aquelas contra a Covid-19 — teve um “retorno de 20 para 1”. É uma ideia que o fundador da Microsoft já tinha mencionado num artigo assinado pelo próprio. Neste texto, publicado no Wall Street Journal, Bill Gates explica que, quando fala de retorno, está a pensar no valor que é gerado pela comunidade.

“O Copenhagen Consensus Center é um laboratório de ideias que usa algoritmos sofisticados e os melhores dados disponíveis para comparar diferentes estratégias de combate à pobreza. As ferramentas já nos permitiram testar diferentes hipóteses”, diz o fundador da Microsoft. Bill Gates adianta mesmo que se o dinheiro investido tivesse tido outro fim, como, por exemplo, “projetos energéticos no mundo em desenvolvimento, o retorno seriam 150 mil milhões de dólares”. Mas a doação foi para a “área da saúde, neste caso para a distribuição de vacinas, medicamentos, redes para as camas e outros materiais e, por isso, foram criados 200 mil milhões de dólares em benefícios sociais e económicos”, explica o empresário.

O fundador da Microsoft considera que ajudar “ajudar crianças pequenas a viver, a ter acesso à nutrição certa e contribuir para os seus países é uma recompensa que ultrapassa qualquer retorno financeiro”.

Além das acusações feitas a Bill Gates, a publicação em análise usa o termo “plandemia”, que sugere que a Covid-19 tenha sido criada em laboratório, mas a teoria é afastada por várias organizações de saúde um pouco por todo o mundo.

De acordo com o Centro de Controlo de Doenças dos Estados Unidos, é muito provável que o SARS-Cov-2 tenha origem num animal, e tenha saltado para os seres humanos num mercado em Wuhan, na China. Também o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de doenças explica que os coronavírus são vírus que “circulam entre animais” e que alguns “podem infetar humanos” — o que a autoridade de saúde indica que foi, muito provavelmente, o que aconteceu com o SARS-Cov-2 .

Conclusão

É falso que Bill Gates seja o responsável pela pandemia de Covid-19. As autoridades de saúde mundiais indicam que o SARS-Cov-2 muito provavelmente saltou de animais para humanos, tal como aconteceu no passado com outros coronavírus. As acusações levantadas sobre o fundador da Microsoft partem do facto de Bill Gates ter adiantado que as doações de 10 mil milhões de dólares que fez na área da saúde através da Bill and Melinda Gates Foundation geraram “200 mil milhões de dólares em benefícios sociais e económicos”. O empresário não fala em lucros e esclarece que quando vale em retorno, está a falar no valor gerado nas comunidades em que o investimento foi feito.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

IFCN Badge