Uma série de publicações no Facebook que apareceram depois das eleições presidenciais nos Estados Unidos e que desde então têm sido amplamente partilhadas, alegam que existiu fraude eleitoral no estado do Wisconsin. No caso, segundo estas publicações, o número de votos contados seria superior ao número de eleitores registados naquele estado do Midwest, onde a vitória foi dada ao candidato do Partido Democrático, Joe Biden, com 49,4% dos votos (1.630.716 votos) contra os 48,8% (1.610.151 votos) de Donald Trump. Uma diferença de pouco mais de 20 mil votos.

“O Wisconsin contou 3.239.920 votos, mas só têm 3.129.000 eleitores registados”, acusavam os autores de vários posts, publicados em inglês, português e espanhol. Os números referidos nestas publicações não estão, no entanto, corretos. De acordo com a Comissão Eleitoral do Wisconsin, o estado tinha registados a 1 de novembro, dois dias antes das eleições, 3.684.726 eleitores ativos.

Para além disso, o valor de votos de cada um dos candidatos está errado e são atribuídos 1.630.334 a Biden e 1.609.586 a Trump, valores em ambos os casos inferiores aos reais.

Publicação surge no Facebook em várias línguas e teve centenas de partilhas

Segundo um fact check efetuado pela Associated Press (AP), a agência noticiosa utilizada por um grande número de órgãos de comunicação social para obter os resultados das eleições norte-americanos, os números utilizados nas referidas publicações para pôr em causa a validade dos resultados parecem ter origem no World Population Review, um site de estatísticas populacionais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de não existirem provas de irregularidades nas eleições no Wisconsin, a candidatura de Donald Trump pagou três milhões de dólares (cerca de 2,5 milhões de euros) para a recontagem de votos das eleições presidenciais em dois condados daquele estado, Milwaukee e Dane. Nos dois condados selecionados para a recontagem, Joe Biden venceu com 577.455 votos contra 213.157 de Trump, tendo vencido em todo o estado por mais de 20 mil votos.

Conclusão:

Falso. Segundo os dados da Comissão Eleitoral do Wisconsin, os números que constam nas publicações do Facebook que alegam fraude eleitoral não correspondem ao número real de eleitores registados naquele estado norte-americano.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge