Circula no Facebook uma imagem em que surge a fotografia do cardeal português D. José Tolentino Mendonça e lhe é atribuída a frase “O Chega é um partido completamente anti-cristão. Os valores que defende são diametralmente opostos aos ensinamentos que a Bíblia nos trouxe e, em particular, ao testemunho dado por Jesus”. Mas será verdade que disse isto?

Na realidade, esta não é  a única publicação que circula atribuindo frases a bispos e cardeais. A fórmula é a mesma: uma fotografia do clérigo acompanhada de uma citação, sem indicação da data ou do contexto. O partido de André Ventura e a sua candidatura presidencial são o principal alvo. Outro dos visados foi o bispo da diocese Leiria/Fátima, D. António Marto, numa publicação semelhante.

Tal como no caso deste bispo, também D. José Tolentino Mendonça não terá dito as palavras que se leem na publicação.

A Conferência Episcopal Portuguesa já confirmou de que se trata de uma série de publicações falsas. À Ecclesia, o porta-voz Manuel Barbosa garante que não foram feitas “afirmações pessoais sobre candidatos e sobre partidos” por parte dos clérigos portugueses visados, incluindo D. José Tolentino Mendonça.

Mas se é verdade que o cardeal não se dirigiu ao Chega nem ao seu líder, em específico, também é preciso deixar assente que Tolentino Mendonça já foi claro na posição que tem relativamente à visão da extrema-direita e das políticas que considera xenófobas. Mais recentemente, num comentário à encíclica do Papa FranciscoFratelli Tutti”, o cardeal referiu, citado pela agência Ecclesia, que “uma política que semeia divisão, inimizade ou um ceticismo desolador, uma política que é incapaz de um projeto comum, inclusivo, é uma política condenada ao fracasso”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Tolentino Mendonça criticou, nesta ocasião, as políticas xenófobas e os “populismos exacerbados”, lembrando uma mensagem semelhante do Papa Francisco. Contudo, e apesar da atualidade deste discurso do cardeal, não se pode concluir que as declarações sejam dirigidas, em concreto, ao partido de André Ventura e às suas ideias.

De resto, a publicação em análise não vem acompanhada de qualquer contexto ou fonte, como a data ou ocasião em que as declarações terão sido proferidas, pelo que não foi possível ao Observador procurar fontes alternativas sobre as supostas palavras do cardeal português.

Conclusão

Não há provas de que o cardeal D. José Tolentino Mendonça tenha falado publicamente sobre o partido Chega e lhe tenha chamado “anti-cristão”. Apesar de o clérigo ser bastante crítico das ideias associadas à extrema-direita, e de já o ter deixado explícito noutros momentos, não se terá dirigido ao partido liderado por André Ventura nem proferido a frase que lhe é atribuída. A publicação é falsa.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO 

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

IFCN Badge