Há tantos Franciscos no santoral católico que, por vezes, até os devotos, em momentos de aflição, ficam confusos e não sabem a qual recorrer.

Conta-se que um fiel, em vertiginosa queda livre, soltou um brado aflito:

– Valha-me São Francisco!

De imediato, uma benfazeja mão celestial o agarrou pelos fundilhos das calças, impedindo-o de se esmagar contra o solo. Mas, como há tantos Franciscos no céu – de Assis, Xavier, de Sales, de Borja, de Paula, etc. – o solícito socorrista perguntou:

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.