Logo Observador
PSD

Crispação política no auge: Passos fala em atitude “reles e ordinária” de Costa

1.333

Líder do PSD, líder da bancada e ex-ministro subiram tom das críticas. Num só dia houve expressões como "claustrofobia democrática", "asfixia democrática" e atitude "reles e ordinária."

O Presidente da República elegeu a “descrispação” como palavra do ano, mas ela não pára de aumentar na Assembleia da República. Depois de ter acusado António Costa de ter uma forma “muito baixa” de fazer política, o líder da oposição voltou esta quinta-feira a criticar duramente o primeiro-ministro. Na reunião de bancada desta quinta-feira — segundo avançou o Público e confirmou o Observador junto de vários deputados presentes — Passos Coelho acusou António Costa de ter uma atitude “reles e ordinária“.

Passos Coelho disse ainda, perante a sua bancada, apurou o Observador junto dos mesmos deputados, que António Costa “não é digno” de exercer a função de primeiro-ministro e que desceu ao “grau zero” da política. À saída da reunião, o líder parlamentar do PSD já tinha reiterado o que tinha dito em entrevista ao Público e à Renascença esta quinta-feira: que o clima é de “claustrofobia democrática.”

Em plenário, à tarde, continuou a subida de tom, com o antigo líder parlamentar, Luís Marques Guedes, a reforçar mais uma vez o “atropelo ao regular funcionamento da Assembleia da República”. O antigo ministro dos Assuntos Parlamentares disse ainda que “de forma insidiosa, e com a conivência ativa do Presidente da Assembleia da República, depois dos episódios de baixa política, tiques de autoritarismo e totalitarismo, a maioria ensaia agora a imposição de um clima de asfixia parlamentar”.

Já na quarta-feira, durante o debate quinzenal, Passos Coelho irritou-se com António Costa quando se discutiam os 10 mil milhões de euros que fugiram para paraísos fiscais:

António Costa: “…Meses e anos a autuar quem não pagava uma portagem de autoestrada e tenha tido esta tranquilidade relativamente a 10 mil milhões de euros como se não visse a floresta que estava à sua frente.”

Passos Coelho (aparte): ” Onde é que os senhores viram a floresta? Isso não é uma maneira correta de fazer política senhor primeiro-ministro. Não é! É, pelo contrário, uma maneira muito baixa de fazer política. Muito baixa.”

António Costa (aparte): “O sr. Passos Coelho está muito… Não precisa de ritalina.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt