Prémios e Galardões

“Frederico Lourenço deu-nos uma Bíblia para crentes e não crentes”, diz Presidente da República

O Presidente da República elogiou o trabalho de Frederico Lourenço de tradução da Bíblia Grega, considerando que é uma obra para crentes e não crentes.

ANDRÉ KOSTERS/LUSA

O Presidente da República elogiou o trabalho de Frederico Lourenço de tradução da Bíblia Grega, pelo “diálogo direto com aquilo que o texto original diz”, considerando que é uma obra para crentes e não crentes.

Marcelo Rebelo de Sousa falava durante a cerimónia de atribuição do Prémio Pessoa 2016 a Frederico Lourenço, na Culturgest, em Lisboa.

“Há neste projeto a vontade quase utópica de encontrar uma Bíblia literal, que não é a literalidade dos fundamentalistas, mas dos textualistas, os que buscam com afinco o significado exato dos termos, que em grego é muito diferente do que é em hebraico”, declarou o chefe de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que “as abundantes e minuciosas notas” dos dois volumes já concluídos “têm como objetivo essa transparência, um diálogo direto com aquilo que o texto original diz”, salientando: “Não necessariamente com o que quer dizer, ou antes, com o que nós queremos que diga”.

“Frederico Lourenço deu-nos uma Bíblia para crentes e não crentes, e ainda para todos os que não sabem em que categoria estão. Mas uma Bíblia literária, em que o esplendor da palavra fosse como que prova suficiente da existência de Deus, quer dizer, do Deus da literatura”, concluiu o Presidente da República, recebendo aplausos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Incêndios

Os escombros de Costa

Maria João Marques
1.337

Pior foi o ar sobranceiro, frio e robótico de Costa na sua declaração ao país na segunda feira. Conseguiu até exibir, após responder a uma pergunta, um meio sorriso de contentamento consigo próprio.

Orçamento do Estado

Tributação com sal q.b.

Susana Claro

Quando se atingem níveis de tributação em que os impostos indiretos são responsáveis por metade do preço de venda dos produtos, há que indagar se não estará na altura de decidir que Estado queremos.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site