Lista das listas. Os 55 “best of” que realmente importam em 2017

31 Dezembro 2017

É hora de fazer balanços. Muitos balanços. Para o ajudar a gerir os "best of" que o têm inundado, o Observador criou a Lista das Listas. Da literatura à música, estas são as 55 que importam.

É provável que já tenha comprado o champanhe para brindar à dieta que nunca fez, à inscrição no ginásio que nunca completou e à viagem intercontinental que ficou enterrada na areia de uma praia qualquer no Algarve. Também é muito possível que já tenha as passas preparadas para prometer tudo outra vez enquanto olha para o fogo de artifício. Desta vez vai tudo correr bem: aquele livro vai mesmo ser lido, aquele filme vai mesmo ser visto e a viagem vai mesmo acontecer. Ou não.

Certo é que está toda a gente a fazer balanços: o mundo inteiro entrou num vórtice de julgamentos e avaliações para escolher o que de melhor (e de pior) aconteceu pelo planeta fora. É preciso ser paciente: ainda agora se livrou da interminável lista que o seu filho escreveu ao Pai Natal e já tem de aguentar as listas de melhores livros, melhores filmes, melhores séries, melhores álbuns. É demasiada informação para processar. A não ser que alguém faça uma suprema e derradeira lista de todas as listas a que vale a pena estar atento. Esse alguém somos nós.

O Observador escolheu 11 categorias e recolheu, para cada uma delas, os cinco top 10 fundamentais para saber realmente o estado da arte. A escolha final, no entanto, cabe-lhe a si: está tudo feito de modo a que possa comparar a triagem de cada uma das publicações e tirar as suas próprias conclusões. É um exercício para saber o que andou a perder em 2017, mas que pode recuperar já na viragem do ano (se se despachar).

Livros

Ser o melhor livro do ano pode não ser sinónimo de ser o mais vendido. Em Espanha, pelo menos, o livro favorito do El País nem sequer aparece nos dez mais lucrativos de 2017 e o fenómeno repete-se em França e nos Estados Unidos. Por cá, o livro mais vendido do ano segundo a FNAC foi Reaccionário com Dois Cês, de Ricardo Araújo Pereira. Será que fugimos à regra e esse é o melhor livro português de 2017?

El País The Telegraph The Washington Post The New York Times Le Figaro
1 “Berta Isla” de Javier Marías “The Unwomanly Face of War” de Svetlana Alexievich “Behave” de Robert M. Sapolsky “Autumn” de Ali Smith “Opération Copperhead” de Jean Harambat
2 “Clavícula” de Marta Sanz “Six Minutes in May” de Nicholas Shakespeare “The Future Is History” de Masha Gessen “Exit West” de Mohsin Amid “Fables et Contes” de La Fontaine
3 “Poesía Completa” de Robert Frost “La Belle Sauvage” de Philip Pullman “I Can’t Breathe” de Matti Taibbi “Pachinko” de Min Jin Lee “Paysages” de Pierre Wat
4 “Transición” de Santos Juliá “The Road To Somewhere” de David Goodhart “I Was Told To Come Alone” de Souad Mekhennet “The Power” de Naomi Alderman “Le Quatour du Yorkshire” de David Peace
5 “4 3 2 1” de Paul Auster “Conversations With Friends” de Sally Rooney “Less” de Andrew Sean Greer “Sing, Unburied, Sing” de Jesmyn Ward “Saint-Nazaire Est Littéraire” de Ouvrge Collectif
6 “Solenoide” de Mircea Cartarescu “The Quantum Astrologer’s Handbook” de Michael Brooks “Lincoln In The Bardo” de George Saunders “The Evolution of Beauty: How Darwin’s Forgotten Theory of Mate Choices Shapes the Animal World — And Us” de Richard O. Prum “Atlas Des Paradis Perdus” de Gilles Lapouge
7 “Examen de ingenios” de J. M. Caballero Bonald “The Long Drop” de Denise Mina “The Power” de Naomi Alderman “Grant” de Ron Chernow “Voyages Avec Rimbaud, Kipling, Baffo” de Hugo Pratt
8 “La Vida Negociable” de Luis Landero “The Holocaust” de Laurense Rees “Rising Star: The Making of Barack Obama” de David J. Garrow “Locking Up Our Own: Crime and Punishment in Black America” de James Forman Jr. “Les Grandes Voiliers du Scièle des Lumières” de Pierre et Philippe Brochard
9 “Los Diarios de Emilio Renzi” de Ricardo Piglia “Ali” de Jonathan Eig “Saints of All Occasions” de J. Courtney Sullivan “Prairie Fires: The American Dreams of Laura Ingalls Wilder” de Caroline Fraser “Paroles de Lapin. Les Grands Entretiens du Magazine Playboy” de Éditions du Sous-Sol
10 “Cuentos Completos” de Henry James “Art Sex Music” de Cosey Fanni Tutti “Sing, Unburied, Sing” de Jesmyn Ward “Priestdaddy” de Patricia Lockwood “Patrice Franceschi et La Boudeuse” de Valérie Labadie

Álbuns

A Time e a New Musical Express foram as únicas que não se deixaram arrebatar por “DAMN.”, o novo álbum de Kendrick Lamar, mas ainda assim sabem que é uma obra incontornável. Todas as listas incluem o mais recente projeto do rapper norte-americano, que numa semana tirou “Views” do pódio dos álbuns mais vendidos na semana de lançamento em 2017. Foi de tal modo que o álbum de Drake acabou completamente atirado para as sombras: nem sequer é referido nas principais listas do ano.

Rolling Stone Pitchfork New Musical Express Billboard TIME
1 “DAMN” de Kendrick Lamar “DAMN” de Kendrick Lamar “Melodrama” de Lorde “DAMN” de Kendrick Lamar “Ctrl” de SZA
2 “Melodrama” de Lorde “Ctrl” de SZA “Visions Of A Life” de Wolf Alice “Ctrl” de SZA “DAMN” de Kendrick Lamar
3 “Songs of Experience” de U2 “The OOZ” de King Krule “DAMN” de Kendrick Lamar “Melodrama” de Lorde “Perfume Genius” de No Shape
4 “Rainbow” de Kesha “Take Me Apart” de Kelela “Pure Comedy” Father John Misty “4:44” de Jay-Z “American Teen” de Khalid
5 “American Dream” de LCD Soundsystem “Melodrama” de Lorde “American Dream” de LCD Soundsystem “American Teen” de Khalid “Melodrama” de Lorde
6 “American Teen” de Khalid “Aromanticism” de Moses Summey “Common Sense” de J Hus “Reputation” de Taylor Swift “Harry Styles” de Harry Styles”
7 “Reputation” de Taylor Swift “Big Fish Theory” de Vince Staples “Ctrl” de SZA “Funk Wav Bounces Vol. 1” de Calvin Harris “Rainbow” de Kesha
8 “Villains” de Queens of the Stone Age “Flower Boy” de Tyler, The Creator “Lust For Life” de Lana Del Rey “Culture” de Migos “I See You” de The xx
9 “Culture” de Migos “Plunge” de Fever Ray “Godfather” de Wiley “Process” de Sampha “Reputation” de Taylor Swift
10 “The Thrill Of It All” de Sam Smith “Black Origami” de Jlin “As You Were” de Liam Gallagher “Harry Styles” de Harry Styles” “American Dream” de LCD Soundsystem

Músicas

Se Kendrick Lamar tem o monopólio das preferências entre os melhores álbuns do ano, o rapper encontra concorrência mais pesada nas canções de 2017. Nenhuma das listas principais é unânime em decidir qual é a melhor música do ano, mas todas coroam a música pop — e nenhuma entrega o primeiro lugar a Humble. Mas nestas listas também se faz história: a música latina não estava tão representada desde que Macarena tomou conta das pistas de dança. Ah!, uma ironia: End Game, uma das músicas favoritas do Spotify, foi considerada uma das piores segundo a Esquire. Vale a pena tirar as teimas.

New Musical Express Billboard Spotify Rolling Stone TIME
1 “Green Light” de Lorde “Bad Liar” de Selena Gomez “Perfect Duet” de Ed Sheeran ft. Beyoncé “Sign of the Times” de Harry Styles “New Rules” de Dua Lipa
2 “Boys” de Charlie XCX “Bodak Yellow” de Cardi B “End Game” de Taylor Swift ft. Ed Sheeran & Future “Homemade Dynamite” de Lorde “New York” de St. Vincent
3 “Hard Times” de Paramore “Slide” de Calvin Harris ft. Frank Ocean & Migos “Danger” de Migos ft. Marshmallow “Humble” de Kendrick Lamar “Despacito” de Luis Fonsi ft. Daddy Yankee
4 “DAMN” de Kendrick Lamar “Despacito” de Luis Fonsi ft. Daddy Yankee & Justin Bieber “Échame La Culpa” de Luis Fonsi ft. Demi Lovato “Bodak Yellow” de Cardi B “Chanel” de Frank Ocean
5 “Big For Your Boots” de Stormzy “XO TOUR Llif3” de Lil Uzi Vert “Did You See” de J HUS “Lights of Home” de U2 “Biscuit Town” de King Krule
6 “Don’t Delete the Kisses” de Wolf Alice “HUMBLE.” de Kendrick Lamar “Fireworks” de First Aid Kit “Band and Boujee” de Migos ft. Lil Uzi Vert “Feel It Still” de Portugal. The Man
7 “Slide” de Calvin Harris ft. Frank Ocean & Migos “Mi Gente” de J Balvin & Willy William ft. Beyoncé “Dreamer” de Axwell /\ Ingrosso ft. Trevor Guthrie “Despacito” de Luis Fonsi ft. Daddy Yankee & Justin Bieber “Bodak Yellow” de Cardi B
8 “Bodak Yellow” de Cardi B “Sign of the Times” de Harry Styles “Phone Calls” de Jessie Reiez “Feel It Still” de Portugal. The Man “Bad Liar” de Selena Gomez
9 “The Man” de The Killers “I Feel It Coming” de The Weeknd ft. Daft Punk “Belong To You” de Sabrina Claudio ft. 6LACK “Lust for Life” de Lana Del Rey ft. The Weeknd “Story of O.J.” de Jay-Z
10 “Bad Liar” de Selena Gomez “Feel It Still” de Portugal. The Man “Wait” de Maroon 5 “Mask Off” de Future “Legends” de Kelsea Ballerini

Filmes

Os críticos de cinema fogem dos filmes de terror, mas Jordan Peele conseguiu conquistá-los: “Get Out” é um thriller psicológico que deu a volta às salas de cinema e que consta em quase todas as listas. Nem “Split”, que tem uma classificação idêntica no IMDB e ganhou mais 20 milhões de dólares em bilheteira, conquistou tal feito no ano passado.

Entertainment Weekly IMDB The New Yorker TIME The New York Times
1 “Dunkirk” de Christopher Nolan “Okja” de Bong Joon Ho “Get Out” de Jordan Peele “The Post” de Steven Spielberg “Dunkirk” de Christopher Nolan
2 “Chama-me Pelo Teu Nome” de Luca Guadagnino “Chama-me Pelo Teu Nome” de Luca Guadagnino “A Quiet Passion” de Terence Davies “Lady Bird” de Greta Gerwig “Ex Libris: The New York Public Library” de Frederick Wiseman
3 “The Shape of Water” de Guillermo del Toro “Blade Runner 2049” de Denis Villeneuve “Good Time” de Josh and Bennie Safdie “The Lost City of Z” de James Gray “Faces Places” de Agnès Varda e JR
4 “Get Out” de Jordan Peele “Um Crime no Expresso do Oriente” de Kenneth Branagh “A Ghost Story” de David Lowery “Personal Shopper” de Olivier Assayas “The Florida Project” de Sean Baker
5 “Foxtrot” de Samuel Maoz “Roda Gigante” de Woody Allen “Slack Bay” de Bruno Dumont “Kedi” de Ceyda Torun “Get Out” de Jordan Peele
6 “Hostiles” de Scott Cooper “Jungle” de Greg McLean “Phantom Thread” de Paul Thomas Anderson “Chama-me Pelo Teu Nome” de Luca Guadagnino “Lady Bird” de Greta Gerwig
7 “Lady Bird” de Greta Gerwig “Dunkirk” de Christopher Nolan “Beach Rats” de Eliza Hittman “Dunkirk” de Christopher Nolan “Okja” de Bong Joon Ho
8 “Molly’s Game” de Aaron Solkin “Cura de Bem-Estar” de Gore Verbinski “Faces Places” de Agnès Varda e JR “Faces Places” de Agnès Varda e JR “Phantom Thread” de Paul Thomas Anderson
9 “Faces Places” de Agnès Varda e JR “Com Paixão” de James Marsh” “Song to Song” de Terrence Malick “Get Out” de Jordan Peele “A Quiet Passion” de Terence Davies
10 “Wonder Woman” de Patty Jenkins “Hostiles” de Scott Cooper “Sylvio” de Kentucker Audley e Albert Birney “Girls Trip” de Malcolm D. Lee “Wonder Woman” de Patty Jenkins

Séries

A nostalgia da infância de quem cresceu nos anos 90 não foi suficiente para pôr “Twin Peaks” no primeiro lugar das listas das melhores séries de 2017,, mas chegou para ganhar o segundo lugar em muitas delas. Fora esta, há três séries que vale a pena manter debaixo de olho: “I Love Dick” e “Transparent” são de Jill Soloway e ambas contaram para que o realizador fosse considerado personalidade do ano da Bloomberg.E “The Handmaid’s Tale” vai estrear a segunda temporada já para o ano.

IMDB TIME The Guardian Entertainment Weekly The New York Times
1 “The Vietnam War” de Geofffrey Ward “Better Things” de Pamela Adlon e Louis C. K. “The Handmaid’s Tale” de Bruce Miller “GLOW” de Liz Flahive e Carly Mensch “American Vandal” de Dan Perrault e Tony Yacenda
2 “A Guerra dos Tronos” de George R. R. Martin “Big Little Lies” de David E. Kelley “Line of Duty” de Jed Mercurio “Twin Peaks: The Returns” de Mark Frost e David Lynch “Better Things” de Pamela Adlon e Louis C. K.
3 “American Gods” de Bryan Fuller e Michael Green “The Leftovers” de Damon Lindelof e Tom Perrotta “Twin Peaks: The Returns” de Mark Frost e David Lynch “Big Little Lies” de David E. Kelley “Crazy Ex-Girlfriend” de Rachel Bloom e Aline Brosh McKenna
4 “Vikings” de Michael Hirst “Feud: Bette and Joan” de Ryan Murphy, Jaffe Cohen e Michael Zam “Blue Planet II” de BBC Natural History Unit “The Good Place” de Michael Schur “The Deuce” de David Simon
5 “Star Trek: Discovery” de Bryan Fuller e Alex Kurtzman ““Insecure” de Issa Rae e Larry Wilmore “Big Little Lies” de David E. Kelley “Rick and Morty” de Justin Roiland e Dan Harmon “The Good Place” de Michael Schur
6 “Blue Planet II” de BBC Natural History Unit “Alias Grace” de Mary Harron “Mindhunter” de Joe Penhall “Insecure” de Issa Rae e Larry Wilmore “Halt and Catch Fire” de Christopher Cantwell e Criphother C. Rogers
7 “The Expanse” de Mark Fergus e Hawk Ostby “I Love Dick” de Jill Soloway “The Deuce” de David Simon “The Handmaid’s Tale” de Bruce Miller “Lady Dynamite” de Pam Brady e Mitch Hurwitz
8 “Legion” de Noah Hawley “Mindhunter” de Joe Penhall “The Good Place” de Michael Schur “DuckTale” de Disney Animation Television “The Leftovers” de Damon Lindelof e Tom Perrotta
9 “Black Mirror” de Charlie Brooker “Witness World Wide” de Rik Reinholdtsen ““The Vietnam War” de Geofffrey Ward “American Crime” de Joh Ridley “One Day At A Time” de Gloria Calderon Kellett e Mike Royce
10 “The Punisher” de Steve Lightfood “The Deuce” de David Simon “Transparent” de Jill Soloway “Mr. Robot” de Sam Esmail “Twin Peaks: The Returns” de Mark Frost e David Lynch

Podcasts

“S-Town” e “The Daily” foi música para os ouvidos dos especialistas no que de melhor se fez em podcasts este ano. Mas um deles leva a melhor num pequeno aspeto que faz toda a diferença: é que, segundo a iTunes, o programa do The New York Times é mais ouvido do que “S-Town” (muito mais ouvido, porque “The Daily aparece em segundo lugar e 10 lugares acima do concorrente). Mas nenhum deles é dispensável: “S-Town” fala de jornalismo de investigação e “The Daily” fala de atualidade.

Entertainment Weekly The New Yorker The Guardian TIME Tech Radar
1 “Pod Save America” de Jon Favreau, Dan Pfeiffer, Jon Lovett e Tommy Vietor “The Daily” de Michael Barbaro “S-Town” de Brian Reed “Binge Mode: Game of Thrones” de Mallory Rubin e Jason Concepcion “Long Reads” de The Guardian
2 “S-Town” de Brian Reed “Ear Hustle” de Earlonne Woods e Antwan Williams “Two Shot” de Craig Parkinson “S-Town” de Brian Reed “Marathon Talk” de Martin Yelling e Tom Williams
3 “Ear Hustle” de Earlonne Woods e Antwan Williams “Heavyweight” de Jonathan Goldstein “Missing Richard Simmons” de Topic “2 Dope Queens” de Jessica Williams e Phoebe Robinson “The Allusionist” de Radiotopia
4 “The Daily” de Michael Barbaro “In Our Time” de Melvin Bragg “Homo Sapiens” de Will Young e Christopher Sweeney “More Perfect” de WNYC “Kermode and Mayo’s Film Review” de Mark Kermode e Simon Mayo
5 “30 For 30” de Jody Avirgan “Mogul” de Gimlet Media “Under The Skin” de Russell Brand “Black On The Air” de Larry Wilmore “The Football Ramble” de Marcus Heaton, Jim Campbell, Luke Moore e Pete Donaldson
6 “Dirty John” de Christopher Goffard “More Perfect” de WNYC “Nancy” de Kathy Tu e Tobin Low “Dear Sugars” de Steve Almond e Cheryl Strayed “Stuff You Should Know” de Josh Clark e Chuck Bryant
7 “36 Questions” de Jonathan Groff e Jessie Shelton “Nocturne” de Vanessa Lowe “The Nod” de Gimlet Media “Reply All” de Gimlet Media “The Adam Buxton Podcast” de Adam Buxton
8 “Nancy” de Kathy Tu e Tobin Low “The Nod” de Eric Eddings e Brittany Luse “Hot Mic” de Dan Savage “The Daily” de Michael Barbaro “My Dad Wrote a Porno” de Jamie Morton, James Cooper e Alice Levine
9 “Mogul” de Gimlet Media “S-Town” de Brian Reed “36 Questions” de Two-Up “Nancy” de Kathy Tu e Tobin Low “Hip Hop Saved My Life” de Romesh Ranganathan
10 “74 Seconds” de Jon Collins e Riham Feshir “Uncivil” de Gimlet Media “Sincerely, X” de TED “Still Processing” de Jenna Wortham e Wesley Morris “Hey, It’s Okay” de Jo Elvin

Videoclipes

His left stroke just went viral. Kendrick Lamar é a grande estrela do panorama musical de 2017. O rapper norte-americano é nome obrigatório em todas as listas e em algumas delas até aparece duas vezes. E embora “HUMBLE.” tenha levado a melhor nos prémios da MTV, “DNA.” e “LOYALTY.” também arrecadaram a preferência dos críticos desta secção. Mas há que fazer uma vénia a outro nome do mundo do rap: Jay-Z, que com “The Story of O.J.” também apanhou o mundo de surpresa (com o álbum e com as confissões de traição a Beyoncé).

Pitchfork The Guardian New Musical Express Huffington Post The Verge
1 “The Gate” de Bjork “The Story of O. J.” de Jay-Z “Boys” de Charli XCX “HUMBLE.” de Kendrick Lamar “Wyclef Jean” de Young Thug
2 “HUMBLE.” de Kendrick Lamar “Want You Back” de Haim “Saturnz Barz” de Gorillaz “Praying” de Kesha “Boys” de Charli XCX
3 “The Story of O. J.” de Jay-Z “LMK” de Kelela “Green Light” de Lorde “Los Ageless” de St. Vincent “HUMBLE.” de Kendrick Lamar
4 “Boys” de Charli XCX “HUMBLE.” de Kendrick Lamar “The Story of O. J.” de Jay-Z “Big For Your Boots” de Stormzy “White Mustang” de Lana Del Rey
5 “DNA.” de Kendrick Lamar “Skim” de Torres “Batman” de Jaden Smith “Boys” de Charli XCX “Run Up” de Major Lazer ft. PARTYNEXTDOOR & Nicki Minaj
6 “To The Moon and Back” de Fever Ray “Boys” de Charli XCX “HUMBLE.” de Kendrick Lamar “House Of Air” de Brendan MacLean “The Gate” de Bjork
7 “Truth” de Kamasi Washington” “New Rules” de Dua Lipa “My Lover Cindy” de Marika Hackman “Look What You Made Me Do” de Taylor Swift “Loyalty” de Kendrick Lamar ft. Rihanna
8 “New York” de St. Vincent “Dark Side Of The Gym” de The National “Wall Of Glass” de Liam Gallagher “New Rules” de Dua Lipa ““Los Ageless” de St. Vincent
9 “Wyclef Jean” de Young Thug “Drew Barrymore” de SZA “Wyclef Jean” de Young Thug “The Story of O. J.” de Jay-Z ““Forever Young” de Lil Yatchy ft. Diplo (Lyric Video)
10 “Dum Surfer” de King Krule “Wyclef Jean” de Young Thug “New Rules” de Dua Lipa “Power” de Little Mix ft. Stormzy “Bad Liar” de Selena Gomez

Personalidades

O mundo mudou desde que os jornalistas Jodi Kantor, Megan Twohey e Ronan Farrow denunciaram as histórias de assédio sexual protagonizadas por Harvey Weinstein. O movimento #MeToo foi, aliás, a personalidade do ano da revista TIME, mas também teve destaque na Recode e na Nature.

TIME Recode Nature Bloomberg Forbes
1 #MeToo, movimento de denúncia de assédio e abuso sexual Jeff Bezos, CEO da Amazon David Liu, biólogo que desenvolveu ferramentas de edição genética Nikki Haley, embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas Vladimir Putin, presidente da Rússia
2 Mohammed bin Salman, príncipe herdeiro da Arábia Saudita Susan Fowler, engenheira de software que falou do assédio sexual na Uber Marica Branchesi, astrónoma envolvida na deteção e estudo das ondas gravitacionais Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard Inc. Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
3 The Dreamers, movimento social de defesa dos direitos dos imigrantes Jodi Kantor, Megan Twohey e Ronan Farrow, jornalistas que denunciaram as histórias de assédio sexual protagonizadas por Harvey Weinstein Emily Whitehead, rapariga que curou uma leucemia com imunoterapia Mohammed bin Salman, príncipe herdeiro da Arábia Saudita Angela Merkel, chanceler da Alemanha
4 Colin Kaepernick, jogador de futebol americano Mark Zuckerberg, CEO do Facebook Scott Pruit, presidente da Agência de Proteção Ambiental (EUA) que negou o aquecimento global Ken Frazier, CEO da Merck & Co. Xi Jinping, presidente da China
5 Robert Mueller, ex-diretor do FBI que liderou a investigação sobre influência russa nas eleições norte-americanas que elegeram Donald Trump como presidente dos Estados Unidos Tim Cook, CEO da Apple Pan Jianwei, físico que inventou a comunicação quântica entre a Terra e o espaço Lilly Singh, estrela do YouTube e autora do livro “How To Be a Bawse” “Papa Francisco, chefe máximo da Igreja Católica
6 Hillary Clinton, ex-secretária de Estado dos Estados Unidos que concorreu à presidência dos Estados Unidos Masayhosi Son, CEO do Softbank Jennifer Byrne, cientista no campo da genética que deteta erros nos estudos sobre esse tema Masayhosi Son, CEO do Softbank Janet Yellen, economista do Federal Reserve Board
7 James Comey, ex-diretor do FBI que liderou a investigação sobre influência russa nas eleições norte-americanas que elegeram Donald Trump como presidente dos Estados Unidos Sundar Pichai, CEO do Google Lassina Zerbo, geofísico que luta contra a não-proliferação de armas nucleares Jill Soloway (realizador de “Transparent” e “I Love Dick”) e Patty Jenkins (realizador de “Wonder Woman”) Bill Gates, fundador da Microsoft
8 Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá Elon Musk, CEO da SpaceX e da Tesla Víctor Cruz-Atienza, sismólogo que previu o sismo de magnitude 7.1 na Cidade do México Susan Collins (senadora do Maine) e Lisa Murkowski (senadora do Alasca) Larry Page, CEO da Alphabet Inc.
9 Carmen Yulín Cruz, presidente da Câmara de Porto Rico Katrina Lake, fundadora da Stitch Fix Ann Olivarius, advogada que criou mecanismos de apoio a vítimas de assédio sexual David Seagel e John Overdeck, co-fundadores da Two Sigma Narendra Mori, primeiro-ministro da Índia
10 Papa Francisco, chefe máximo da Igreja Católica Margrethe Vestager, Comissária Europeia para a Concorrência que obrigou a Apple a pagar uma multa astronómica por fuga ao fisco Khaled Toukan, presidente não executivo da Comissão de Energia Atómica da Jordânia Yoshiaki Koizumi, gestor de jogos da Nintendo Mark Zuckerberg, fundador do Facebook

Jogos digitais

Os principais avaliadores do mundo dos jogos concordam em discordar. Quase todos aplaudem os mesmos jogos, mas quase nenhum coincide na classificação dada a cada um deles. Se está ansioso para encher a prateleira com jogos novos, é obrigatório experimentar “The Legend of Zelda”, “Resident Evil” e “Horizon Zero Dawn”. E se a nostalgia da infância não funciona como as séries, leva a melhor nos jogos: “Super Mario” é um dos jogos do ano para todas as listas.

Polygon The Telegraph Business Insider The Verge The Guardian
1 “The Legend of Zelda: Breath Of The Wild” de Nintendo Entertainment Planning & Development “Gravity Rush 2” de Sony Japan “Playerunknown’s Battleground” PUBG Corp. “Cuphead” de Studio MDHR “The Legend of Zelda: Breath Of The Wild” de Nintendo Entertainment Planning & Development
2 “Playerunknown’s Battleground” PUBG Corp. “Resident Evil 7” de Capcom “Super Mario Odyssey” de Nintendo Entertainment Planning & Development “Destiny 2” de Bungie, Vicarious Visions e High Moon Studios “Super Mario Odyssey” de Nintendo Entertainment Planning & Development
3 “Super Mario Odyssey” de Nintendo Entertainment Planning & Development “Yakuza O” de Sega “Horizon Zero Dawn” de Guerrilla Games “Hidden Folks” de Adriaan de Jongh e Sylvian Tegroeg “Horizon Zero Dawn” de Guerrilla Games
4 “Nier: Automata” de Platinum Games “Dandy Dungeon” de Onion Games “The Legend of Zelda: Breath Of The Wild” de Nintendo Entertainment Planning & Development “Horizon Zero Dawn” de Guerrilla Games “What Remains of Edith Finch” de Giant Sparrow
5 “Resident Evil 7” de Capcom “She Remembered Catterpillars” de Jumpsuit Entertainment “Resident Evil 7” de Capcom “The Legend of Zelda: Breath Of The Wild” de Nintendo Entertainment Planning & Development “Nier: Automata” de Platinum Games
6 “Persona 5” de Atlus “For Honor” de Ubisoft ““Battle Chef Brigade” de Trinket Studios “Monument Valley 2” de ustwo games “Persona 5” de Atlus
7 “Prey” de Arkane Studios “Sniper Elite 4” de Rebellion “Assassin’s Creed Origins” de Ubisoft “Nier: Automata” de Platinum Games “Resident Evil 7” de Capcom
8 “Horizon Zero Dawn” de Guerrilla Games “Nioh” de Team Ninja “HQ Trivia” de Rus Yusupov e Colin Kroll “Persona 5” de Atlus “Night In The Woods” de Alex Holowca e Infinite Fall
9 “Everything” de David O’Reily “Halo Wars 2” de Creative Assembly “Cuphead” de Studio MDHR “Playerunknown’s Battleground” PUBG Corp. “Nex Machina” de Housemarque
10 “Wolfenstein 2: The New Colossus” de Machine Games “Horizon Zero Dawn” de Guerrilla Games “South Park: The Fractured But Whole” de Obsidian Entertainment “Resident Evil 7” de Capcom “Uncharted: The Lost Legacy” de Naughty Dog

Documentários

A maioria ganha e “Faces Places”, um documentário francês, arrebata quase todas as listas de documentários. Quase, porque há dois projetos que impedem a premiada obra de Agnès Varda de chegar ao topo do pódio: “I Called Him Morgan” e “Abacus”. Estranho mesmo é que esses dois documentários não merecem lugar em mais nenhuma das outras listas.

Rolling Stone The Hollywood Reporter Esquire The Wrap Paste Magazine
1 “Faces Places” de Agnès Varda e JR “Faces Places” de Agnès Varda e JR “I Called Him Morgan” de Kasper Collin “Faces Places” de Agnès Varda e JR “Abacus: Small Enough To Jail” de Steve James
2 “The Work” de Jairus McLeary e Gethin Aldous “Jane” de National Geographic Partners “City of Ghosts” de Matthiew Heineman “Ex Libris” de Frederick Wiseman “Brimstone & Glory” de Viktor Jakovleski
3 “All These Sleepless Nights” de Michal Marczak “My Journey Through French Cinema” de Bertrand Tavernier “Ex Libris” de Frederick Wiseman “Whose Streets?” de Sabaah Folayan “Casting JonBenet” de Kitty Green
4 “Ex Libris” de Frederick Wiseman “Quest” de Jonathan Olshefski “Faces Places” de Agnès Varda e JR “The Death and Life of Marsha P. Johnson” de David France “City of Ghosts” de Matthew Heineman
5 “LA 92” de Daniel Lindsay e T. J. Martin “Let It Fall: Los Angeles Angeles 1982-1992” de Joh Ridley “The Death and Life of Marsha P. Johnson” de David France “Chavela” de Catherine Gund e Daresha Kyi “Ex Libris” de Frederick Wiseman
6 “Machines” de Rahul Jain “Rat Film” de Theo Anthony “One of Us” de Heidi Ewing e Rachel Grady “Strong Island” de Yance Ford “Faces Places” de Agnès Varda e JR
7 “Whose Streets?” de Sabaah Folayan “Step” de Amanda Lipitz “The B-Side” de Errol Morris “Obit” de Vanessa Gould “Human Flow” de Ai Weiwei
8 “Long Strange Tip” de Amir Bar-Lev “Dawson City: Frozen Time” de Bill Morrison “Spettacolo” de Jeff Malmberg e Chris Shellen “Dina” de Dan Sickles e Antonio Santini “I Am Not Your Negro” de Raoul Peck
9 “Jim & Andy: The Great Beyond” de Chris Smith “Kedi” de Ceyda Torun “Trophy” de Shawl Schwarz e Christina Clusiau ““Kiki” de Sara Jardeno “Karl Marx City” de Petra Epperlein e Michael Tucker
10 “Quest” de Jonathan Olshefski “Ex Libris” de Frederick Wiseman “Rat Film” de Theo Anthony “Bones of Contention” de Andrea Weiss “Nathan For You” de Nathan Fielder

Gadgets

A Apple dividiu opiniões quando o iPhone X foi anunciado com o astronómico preço de quase 1.400 euros. No final de contas (quem é como quem diz, no final do ano), os críticos são unânimes em fazer do novo smartphone da maçã roída um dos produtos obrigatórios de 2017. Ainda assim, o Android continua a bater o pé frente ao iOS, representado (e bem, dizem os especialistas) pela eterna rival Samsung. E até a Motorola entra na corrida desta vez.

The Guardian TIME Quartz Wired Wall Street Journal
1 UBTech Jimu Astrobot Kit, robô Nintendo Switch, consola Nintendo Switch, consola Sonos Play: 5, coluna de som Amazon Echo, coluna de som
2 Nintendo Switch, consola Apple iPhone X, smartphone DJI Spark, drone Jaybird X3, auriculares Apple iPhone X, smartphone
3 Sony Xperia Touch, projetor interativo tátil Microsoft Surface Laptop, computador Samsung Note 8, smartphone Apple TV 4K, box televisiva Google Pixelbook Chromebook, computador
4 Panasonic Lumix GH5, máquina fotográfica DJI Spark, drone Amazon Echo, coluna de som Oppo PM-3, auscultadores com fios Roku Streaming Stick+, comando de televisão
5 Oppo PM-3, auscultadores com fios Samsung Galaxy S8, smartphone AirPods, auriculares Apple iPad Pro 10.5 inch, tablet Sony Cyber-shot RX100 V Camera, máquina fotográfica
6 Nest Cam IQ, câmara de segurança Super Nintendo Entertainment System Classic, consola Rylo Optics, máquina fotográfica e câmara Apple Watch 3, smartwatch Piper Computer-Building Kit, brinquedo
7 Motorola Moto G5, smartphone Amazon Echo, coluna de som Samsung DeX, hardware para o telemóvel Samsung Note 8, smartphone Netgear Orbi, router
8 Aukey Charging Stand, carregador sem fios Xbox One X, consola Apple iPad Pro 10.5 inch, tablet LG OLED55C7, televisão Ring Video Doorbell 2, campainha inteligente
9 Fuse Chicken Titan, cabo carregador Apple Watch 3, smartwatch Samsung Odyssey, hardware de realidade virtual DJI Spark, drone Sphero Mini Remote-Controlled Ball, brinquedo
10 “Apple Watch 3, smartwatch Sony Alpha A7R III, máquina fotográfica Apple iPhone X, smartphone Apple iPhone X, smartphone Tovala Oven and Meal Service, microondas
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Ano Novo

2018: Renovação, Respeito, Pertença

Paulo Trigo Pereira
196

Um partido político que não se renova, definha, e só não morrerá se as barreiras à entrada forem de tal ordem que dificilmente possam entrar outros competidores.

Presidente Trump

As semelhanças entre Obama e Trump

João Marques de Almeida

A eleição de Trump foi a derrota das elites bem pensantes e do establishment dos media, que prefere escrever para os seus egos e os seus pares em vez de tentar entender o que se está a passar nos EUA.

Vladimir Putin

Síria: não há forma de lavar a hipocrisia 

José Milhazes

Lavrov apoiou a acção turca porque os ataques visam curdos e outras forças sírias apoiadas pelos EUA. Não é difícil imaginar o regozijo reinante no Kremlin face à luta entre parceiros da NATO na Síria

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site