Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O termo supermodelo pode muito bem suscitar inveja. “Colada” à expressão estão medidas femininas perfeitas, curvas acentuadas e rostos deslumbrantes. Mas para a supermodelo holandesa, Lara Stone, a beleza nem sempre foi um dado adquirido. Stone, que tem um filho de um ano, admitiu que a gravidez custou-lhe o trabalho.

“Ainda não tinha feito o meu exame de três meses e senti-me muito vulnerável. Já não tinha emprego”, contou em entrevista à publicação The Evening Standard. A modelo teve de mudar radicalmente a sua vida porque, à data, viu-se afastada de um trabalho; o cliente considerou que Stone tinha ganho muito peso.

Na mesma entrevista confessou ainda que, com a vinda do bebé, de nome Alfred, o corpo ressentiu-se e ela perdeu, temporariamente, a forma. “Os meus braços não cabiam nas blusas. Não conseguia levar os jeans acima dos joelhos. Não conseguia encontrar um sutiã que me ficasse bem”. Entretanto,  já regressou ao trabalho mas explica que não tem sido fácil recuperar a boa forma. A ajuda do personal trainer, James Duigan, é preciosa, como faz questão de referir.

Lara Stone tem 30 anos e está casada com o comediante inglês David Walliams. Filha de mãe holandesa e pai britânico, foi educada, mais a irmã, entre os dois países. Aos 13 anos, foi descoberta no metro em Paris, enquanto passava férias com a família, diz a Vogue. Até então, era apenas uma miúda magra e esquisita q.b., gozada pelos colegas de escola. A vida fez das suas e depressa se seguiram castings atrás de castings e viagens constantes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao longo da carreira houve quem a considerasse demasiado “cheia” para ser modelo. Hoje, Lara está nas bocas (e nas capas) do mundo. Tem contratos exclusivos para marcas como Calvin Klein e L’Oréal Paris. Segundo o Evening Standard, Tom Ford considera-a “um sonho [de mulher] com quem trabalhar, de tirar o fôlego e ridiculamente sexy”.