Dos 35 membros fundadores do Partido Socialista ainda vivos, 25 assinaram um manifesto onde dizem que o autarca de Lisboa, António Costa, é quem está em melhores condições para ser primeiro-ministro, notícia a TVI.

“Os signatários, fundadores do Partido Socialista, por considerarem ser indispensável que António Costa seja o candidato do partido a primeiro-ministro de Portugal, vêm declarar que apoiam a sua candidatura, por entenderem que ele está colocado em melhores condições, internas e externas, para vencerem as próximas eleições legislativas, oferecendo a Portugal uma alternativa política sólida, clara e de esquerda”, lê-se no documento cedido à estação televisiva.

“Nós que já pensávamos em Portugal antes do 25 de Abril, agora a pensarmos em Portugal, dizemos que a escolher, escolham António Costa”, afirma Nuno Godinho Matos, membro fundador do Partido Socialista. “É de longe o melhor”, acrescenta, ao falar do actual presidente de Câmara Municipal de Lisboa.

Nuno Godinho Matos, em entrevista, retratou António Costa como uma pessoa mais “sólida” e mais “preparada”, que chega à política não pela vida partidária, mas que se afirma na política “trabalhando em público para o público”, enquanto o actual secretário geral do PS, António José Seguro, “não tem currículo.”

A declaração de apoio é subscrita por 25 fundadores do PS, entre os quais António Campos, Arons de Carvalho, Mário Mesquita, Nuno Godinho de Matos, Maria Carolina Tito de Morais, Alfredo Barroso, António Gomes Ferreira, Lucas do Ó, José Leitão, Luís Nunes da Ponte, Roque Lino, Rodolfo Crespo e o ex-Presidente da República Mário Soares.