Por esta altura é provável que já tenha aquele bronzeado de verão. Pele dourada, uniforme e luminosa, resultado de algumas (se não muitas) idas à praia. Talvez por isso seja também a altura de relembrar alguns cuidados extra a ter com a pele, além dos habituais cremes solares e das horas corretas de exposição ao sol. Nuno Borges, membro da direção da Associação Portuguesa dos Nutricionistas, explica quais os alimentos que podem deixar a epiderme mais protegida para uma ida à praia em maior segurança.

Laranjas e quivi 
A vitamina C tem um efeito antioxidante e, por isso, atenua os efeitos das radiações solares na pele. A longo prazo permite que esta não envelheça tanto. Por norma, associamos a respetiva vitamina à laranja, mas Nuno Borges garante que o quivi, por exemplo, tem cinco vezes mais quantidade vitamínica. Mas esta também está presente em produtos hortícolas, como na batata e na salsa.

TO GO WITH A STORY BY SUZANNE MUSTACICH: "BIG PLANS FOR FRANCE'S MINI-KIWI FRUIT" - A picture taken on October 4, 2010 shows two kiwis in Labatut, southwestern France. It's smaller than a kumquat -- about the size of your thumb -- and smooth-skinned like a tomato. But this rare fruit flourishing in orchards by the Adour river in southwest France is neither. It's actually a tiny kiwi fruit -- but with an edible green peel, the award-winning mini-kiwi bears little resemblance to the fuzzy brown specimens we know.  AFP PHOTO JEAN PIERRE MULLER (Photo credit should read JEAN-PIERRE MULLER/AFP/Getty Images)

JEAN-PIERRE MULLER

Peixe
As altas temperaturas pedem por refeições menos pesadas, pelo que o peixe tende a ser uma preferência da estação. A maioria dos alimentos provenientes do mar é rica em Ómega 3, o qual confere proteção ao excesso de exposição solar e ajuda a pele a resistir à respetiva agressão. Está, sobretudo, presente em peixes que têm mais óleo na sua composição — falamos de atum, cavalas, sardinhas, arenque, salmão, linguado, peixe-espada e robalo, por exemplo. Em última análise, a gordura do peixe pode até reduzir os riscos de cancro de pele.

Sushi chef William Tawng displays a sushi selection made from a bluefin tuna at the upscale Japanese restaurant Megu in New York on March 10, 2010. The Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora (CITES), the only UN body with the power to ban trade in endangered animals and plants began a triennial meeting in Doha on March 13, 2010 with Atlantic bluefin tuna, African elephants and polar bears on the docket.  Despite self-imposed quotas, high-tech fisheries have drained tuna stocks in the Mediterranean and Western Atlantic by as much as 80 percent since 1970. Backed by the European Union and the United States, Monaco is leading a move to list the 100,000-dollar-a-head fish on CITES' Appendix I, which bans international trade.        AFP PHOTO/Emmanuel Dunand (Photo credit should read EMMANUEL DUNAND/AFP/Getty Images)

EMMANUEL DUNAND

Frutos Secos
São também uma fonte de Ómega 3, embora seja difícil de determinar se são tão eficazes quanto o peixe. Estes “frutos gordos” são ricos em vitamina E, mas não estão muito presentes na alimentação diária do português. Por isso, tome nota e leve para casa nozes, avelãs, amendoim ou castanha de caju.

Peanuts  (Photo by Rafa Samano/Cover/Getty Images)

Rafa Samano/Getty Images

Água
É a “regra” mais conhecida, mas nem por isso deixa de ser uma obrigação relembrar. A água nunca deixa de ter um papel fundamental. É preciso bebê-la com frequência e em todas as horas. Durante os dias de maior calor a pele pede por hidratação; a solução passa pela ingestão do líquido ou de frutos compostos por muita água, como melancia, pêra e laranja.

Cocktail de frutas en la playa. Isla de Morro de Sao Paulo Bahía  Brasil 2007

Javier Teniente

Alimentos coloridos
Não conferem proteção, mas dão cor à pele. Os carotenos são moléculas presentes em alimentos coloridos que, consequentemente, tingem a pele. Encontram-se em alimentos avermelhados, amarelo-alaranjados e também naqueles com folha verde escura. São muitas as referências, desde abacaxi, a brócolos e meloa, mas um dos exemplos máximos é a cenoura. O betacaroteno, por sua vez, é um tipo de caroteno que o organismo transforma em retinol, isto é, vitamina A, que vai colmatar algumas falhas de extrema importância, como a queda de pele e de cabelo, e ainda a má visão. No entanto, é preciso ter cuidado para não exagerar no seu consumo. “Não é fácil dizer qual a proporção ideal, até porque a vitamina também está presente na manteiga, no leite e nos vegetais. Se as pessoas comerem normalmente, respeitarem a roda dos alimentos e as proporções ideais, tudo corre bem”, garante Nuno Borges.