Suíça

Akoya, a financeira investigada no processo Monte Branco vai ser dissolvida

A financeira suíça cujos gestores foram detidos no âmbito da operação Monte Branco vai ser dissolvida. Segundo o jornal Sol, a reputação da empresa "ficou danificada".

Dois gestores da financeira foram detidos no âmbito da investigação Monte Branco

© Hugo Amaral

A sociedade suíça investigada no âmbito da operação Monte Branco e cujos dois gestores foram constituídos arguidos deverá ser dissolvida em breve, avançou este sábado o jornal Sol. Uma fonte ligada à sociedade confirmou ao jornal que, na origem da decisão, está o facto de “os processos abertos em Portugal contra os gestores da empresa terem danificado a sua reputação”.

Michel Canals e Nicolas Figueiredo, sócios da Akoya, foram detidos em maio de 2012 sob suspeitas dos crimes de evasão fiscal e lavagem de dinheiro. A Akoya , uma sociedade financeira e de gestão de fortunas na Suíça, tinha como sócios Helder Bataglia (22,5%), Álvaro Sobrinho (22,5%), Michel Canals (20%), Nicolas Figueiredo (15%), José Pinto (15%) e a advogada Ana Bruno (5%).

A sua função era apoiar e aconselhar empresários e empresas na área financeira. Os serviços prestados aos clientes abrangiam áreas como o aconselhamento financeiro, o suporte das suas atividades bancárias e o apoio na marcação de viagens e contactos.

Como uma empresa de aconselhamento, a Akoya não era, segundo os seus sócios, responsável pela forma como os fundos dos clientes eram angariados – responsabilidade essa que pertencia aos bancos e instituições financeiras que detinham os fundos.

Outros acionistas – entre os quais Álvaro Sobrinho, que tem também uma participação no SOL – demarcaram-se do caso, garantindo não haver qualquer relação entre a Akoya e a alegada rede. E pediram mesmo à autoridade de supervisão suíça uma inspeção extraordinária à empresa, que terminou de forma favorável.

O jornal Sol diz que apurou que dos três mil milhões de dólares alegadamente envolvidos no caso Monte Branco, apenas uma “ínfima” parte – cerca de 2% – eram geridos pela Akoya. Há mais bancos e instituições financeiras sob investigação.

Ricardo Salgado era um dos clientes do Akoya e foi ouvido como testemunha logo após a detenção dos dois gestores. Um ano e meio depois foi constituído arguido por suspeitas de envolvimento no mesmo processo.

 

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ssimoes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)