A Bolsa de Lisboa fechou nesta quarta-feira em alta, pela primeira vez desde 4 de agosto, com o PSI 20 a ganhar 1,88% para os 5.451,80 pontos, com os títulos da banca em destaque a liderar as subidas. Numa sessão em que as 18 cotadas que compõem o índice de referência da bolsa portuguesa fecharam em terreno positivo, o BCP avançou 6,20% para os 0,93 euros, o BPI 4,46% para os 1,26 e o Banif 4,17% para 0,08 euros.

Entre os ‘pesos pesados’ destacou-se a Portugal Telecom (PT) com uma valorização de 1,36% para 1,41 euros. A EDP fechou com ganhos de 3,36% para os 3,29 euros. Já a valorização da Galp não foi além dos 0,53% para 12,27 euros, no dia em que a petrolífera anunciou a presença de gás no poço Apollonia, que confirma a extensão da descoberta de Júpiter, no pré-sal da bacia de Santos.

Segundo a Galp Energia, “as amostras de fluídos recolhidas apresentam características semelhantes às encontradas no poço pioneiro e nos dois poços de extensão já perfurados”, constatando-se assim “a presença de uma grande jazida de gás (gás natural e CO2), condensado e óleo”.

As bolsas europeias encerraram positivas, na sequência da divulgação de resultados empresariais positivos, mantendo-se as preocupações em torno de um conflito Ucrânia/Rússia. Londres ganhou 0,37%, Paris 0,78%, Frankfurt 1,43% e Madrid 0,61%.

O presidente do Bundesbank, Jens Weidmann, afirmou hoje que com o colapso do Banco Espírito Santo (BES) a zona euro demonstrou ter capacidade para tratar “rapidamente este tipo de problema, obrigando os investidores a assumirem as suas responsabilidades”. As afirmações do presidente do banco central alemão surgem numa entrevista publicada hoje pelo jornal “Le Monde”.