“Não me ignores mais. O teu telefone está bloqueado. Liga à mãe!”. É esta a mensagem que pode aparecer no telemóvel do seu filho quando ele teimar em ignorar as suas chamadas. Com um simples clique, a mãe ordena remotamente o bloqueio do smartphone do adolescente, que fica impedido de usar o aparelho para qualquer outro fim senão o de ligar à mãe (ou ao 112). Medida extrema? Excessivamente controladora? Talvez, mas a norte-americana Sharon Standifird não teve medo do rótulo e criou mesmo uma aplicação com estas potencialidades. Se está a fazer sucesso? No universo das mães, sim. No dos filhos, nem por isso…

Sharon Standifird já foi apelidada pelo jornal The Independent de mãe-frustrada-que-se-tornou-um-génio-do-mal. Não é para menos. Pelo menos desde que criou a aplicação para smartphone – ainda só disponível para Android (por 1,49€) – que dá aos pais o poder de bloquear o telemóvel dos filhos à distância, impedindo-os de utilizar o telemóvel para qualquer fim senão o de devolver a chamada aos pais. Ou seja, nada de mensagens para os amigos, nada de Facebook, Whatsapp, Snapchat ou selfies – até nova ordem.

“Há poucas coisas mais frustrantes do que quando os seus filhos recusam atender as suas chamadas ou responder às suas mensagens, e a situação piora quando eles sabem que os pais não podem fazer nada para mudar isso”, lê-se na apresentação da app no site da Ignore No More (Não Ignores Mais, na tradução para português).

O funcionamento é simples: uma só conta permite controlar mais do que um dispositivo, desde que configurado nesse sentido através de uma palavra passe que permite o bloqueio do aparelho. Serve para pais e filhos como poderá servir também para outros propósitos. Namorados e namoradas? Por exemplo.

De acordo com o Independent, Sharon Standifird, mãe de dois adolescentes e residente no Estado norte-americano do Texas, teve a ideia e consultou designers e programadores durante vários meses até que a Mountaineer Technology Ventures LLC criou a Ignore No More, que está a fazer sucesso junto dos pais que partilham as mesmas ânsias e angústias do que Sharon.

“O meu filho odeia, eu adoro”, escreveu uma utilizadora, Liane Parker, numa crítica na Play Store da Google, onde a aplicação pode ser descarregada. Outra mãe arrisca uma outra utilização possível para a app: “bloquear-lhes o telefone na hora de dormir”. Boa, Lamiya Keyes Mewborn. No geral, em 78 avaliações, 42 utilizadores dão nota máxima (5 estrelas) mas há 17 que dão apenas uma.

É que a recém-criada aplicação, disponível na Play Store e supostamente compatível com qualquer aparelho Android 3.0 ou superior, ainda tem muito a melhorar: várias outras mães que descarregaram a app estão a debater-se para que funcione corretamente nos seus aparelhos ou queixam-se de que não funciona de todo em determinados telemóveis.

Mas enquanto as melhorias chegam e não chegam, os filhos respiram de alívio.