Cinco toureiros espanhóis vão lidar os touros das touradas de morte das Festas de Barrancos deste ano, que começam na próxima quinta-feira para cumprir uma tradição legalizada há 12 anos através de uma exceção.

A “Fêra de Barrancos”, popularizada e mediatizada devido aos touros de morte e que mistura celebrações religiosas e divertimentos pagãos em honra de Nossa Senhora da Conceição, a padroeira da vila raiana do distrito de Beja, vai decorrer até sábado com muito “cachondeo” (divertimento).

O “pontapé de saída” da “fêra”, organizada pela Comissão de Festas de Barrancos, é dado na quinta-feira, feriado municipal, às 8h, com a tradicional alvorada, pela Banda Filarmónica Fim de Século de Barrancos, seguindo-se as habituais celebrações religiosas, uma missa, às 11h, e uma procissão, às 18h.

As touradas de morte, o “prato forte” do programa e as únicas legais em Portugal, graças a um regime de exceção aprovado em 2002, começam na sexta-feira.

Após as celebrações religiosas do primeiro dia, os divertimentos pagãos vão dominar os restantes três dias das festas, que começam sempre às 8h com os tradicionais “encerros”, através dos quais os touros a lidar nas touradas de morte serão conduzidos até aos curros da praça de touros.

Entre sexta-feira e domingo, a partir das 18h, as touradas de morte, “abrilhantadas” pela Banda Filarmónica Fim de Século, vão encher a “mítica” arena de Barrancos, a improvisada praça de touros, que, anualmente, por ocasião das festas, é construída na Praça da Liberdade, no centro da vila.

Na sexta-feira, os toureiros José Maria Lázaro e Eugenio Martin “El Mani” vão lidar os dois touros de morte da corrida inaugural. No sábado, os toureiros José Luis Madrigal e António Rosales lidarão os dois touros de morte da segunda corrida.

Na terceira e última corrida, no domingo, o toureiro Cristian Cananon lidará o quinto e último touro de morte da “fêra” de Barrancos deste ano.

Como “manda” a tradição, a última tourada termina com a lide de uma vaca pelos espetadores e aficionados mais atrevidos e aventureiros e que é morta na arena no meio de uma roda de pessoas.

À semelhança de edições anteriores, a Câmara de Barrancos promove e, se houver um “triunfador”, vai atribuir o troféu à melhor faena da “fêra” deste ano.

O “cachondeo” da “Fêra de Barrancos” prolonga-se pelas noites fora com espetáculos musicais de grupos e artistas portugueses e espanhóis, sempre a partir das 22h, na Praça da Liberdade, seguidos de bailes, a partir das 24h, no Quintalão de Festas.

José Mendes (quinta-feira), Los Romeros (sexta-feira), Grupo Voz Amiga (sábado) e Escuela de Baile de Barrancos, Rumbo Flamenco, Zapatito de Tacón e Roberto Carlos (domingo) são os artistas e grupos que vão atuar nos espetáculos previstos para a Praça da Liberdade.

O trio Diviertet3 (quinta-feira), as orquestras Nuevo Milenio (sexta-feira) e Iberotropical (sábado) e o Grupo Calle Sierpes (domingo) vão animar os bailes no Quintalão de Festas.