O Ministério da Educação é o mais atrasado na preparação do Orçamento do Estado para 2015. O prazo de entrega dos orçamentos dos vários serviços de cada tutela termina esta sexta-feira, depois de o primeiro prazo de dia 22 ter sido adiado por uma semana, e às 11h o balanço da direção-geral do Orçamento apontava para apenas 363 orçamentos de serviços entregues num universo de 495. Destes, 63 foram validados e 300 aguardam análise. Por entregar, estão 132, ou seja, 26,6% do total.

Entre os ministérios mais atrasados, é fácil ver quem está no top: o Ministério da Educação, tutelado por Nuno Crato. Apenas entregou 41 orçamentos, faltando ainda 80. Trata-se, no entanto, do ministério com mais serviços (121).

O orçamento da Educação estava a ser muito contestado pelos reitores das universidades que contestavam o facto de não conseguir acomodar o acréscimo de despesa com a reposição gradual de salários em 2015. Esta segunda-feira, o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), que assumiu compromisso com o Governo de entrega dos orçamentos na terça-feira, reiterou “as sérias preocupações sobre a estabilidade e o funcionamento de todo o sistema universitário”. Em comunicado, os reitores das universidades manifestaram apreensão sobre “os cortes acumulados no passado e o anúncio de novos cortes para vigorarem no próximo ano”. Os reitores seguirão, por isso, “com a máxima atenção acrescida, todas as decisões que vierem a ser tomadas sobre as dotações orçamentais destinadas ao Ensino Superior”, disseram.

Em segundo lugar, no atraso na entrega de documentos para a preparação do Orçamento de 2015, está o Ministério da Saúde, de Paulo Macedo. Faltam 16 documentos, num total de 70.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

António Pires de Lima, da Economia, ainda só entregou cerca de um terço das suas propostas de orçamento: 26. Faltam 10.

Os mais cumpridores foram a Justiça e a Defesa. O Ministério dos Negócios Estrangeiros, da Segurança Social e Administração Interna têm em falta apenas um papel.

O prazo inicial para os serviços do Estado entregarem os seus orçamentos para 2015 acabava dia 22, a última sexta-feira, mas o prazo foi prolongado pela ministra das Finanças por causa do Retificativo, que foi aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

Até às 18h de dia 22, tinham sido entregues 205 orçamentos de ministérios, ou seja, 41,2% do total. Apenas sete estavam validados, enquanto esta sexta-feira esse número já vai em 19.

O Orçamento do Estado é entregue no Parlamento até 15 de outubro.