A atividade do vulcão Tungurahua, localizado no centro da cordilheira dos Andes, no Equador, mantém-se uma intensidade “moderada a alta” com emissões constantes de cinza e explosões esporádicas, informou, no domingo, o Instituto Geofísico (IG).

O mais recente relatório do IG, que tem um observatório perto do vulcão, assinala que, nas últimas 24 horas, foram registadas, entre outras, 19 explosões, 41 tremores devido às emissões de gases e cinza e 32 sismos ligeiros relacionados com o fluxo de fluidos no interior da montanha.

Foi ainda reportada a queda de cinza vulcânica nas localidades de Palitagua, El Manzano e Bilbao, situadas a sul e a oeste do vulcão.

O instituto não descarta uma eventual casual geração de fluxos de piroclasto (pedras incandescentes) e explosões ou emissões “um pouco fortes”.

Situado a cerca de 180 quilómetros a sudeste de Quito, o Tungurahua iniciou o seu processo eruptivo em 1999 e desde então intercalou períodos de grande atividade com outros de relativa calma.

Com 5.016 metros de altura, este vulcão é um dos mais de 50 do Equador e, a par do Reventador e do Sangay, é um dos mais ativos do país.