Pelo menos 19 civis foram hoje assassinados por milícias curdas na província de Al Hasaka, no noroeste da Síria, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Em comunicado, aquela organização não-governamental (ONG) acusou da prática deste crime os membros da Unidade de Proteção do Povo Curdo, que luta contra o grupo jihadista Estado islâmico (EI).

As vítimas eram originárias das aldeias de Al Hayia e Tel Jalil, situadas a sul de Al Qameshli, capital de Al Hasaka.

Segundo a mesma ONG, existem informações por confirmar de um outro assassínio de civis, pelos curdos, na mesma região.

Paralelamente, prosseguem os combates entre a milícia curda e os militantes do EI nas imediações de Abu Qasaib e Sharmuj, onde os curdos se apoderaram de cinco aldeias.

Pelo menos 15 membros do EI morreram nos combates, tendo havido também baixas nas fileiras das milícias curdas.

Na Síria, o EI domina a província de Al Raga e controla quase por inteiro a de Deir al Zur, além de estar presente em outras como Alepo, Homs, Al Hasaka e Idleb.