Cerca de 930 cidadãos franceses ou residentes em França, incluindo pelo menos 60 mulheres, estão relacionados com a atividade jihadista no Iraque ou na Síria ou planeiam deslocar-se a estes locais, disse hoje o ministro do interior, Bernard Cazeneuve.

Numa entrevista ao semanário ‘Le Journal de Dimanche’, citado pela agência France Presse, o ministro francês Bernard Cazeneuve disse que “930 cidadãos ou estrangeiros a residirem m França estão hoje envolvidos na jihad no Iraque e na Síria”.

De acordo com o governante, “350 estão no território, incluindo 60 mulheres. Cerca de 180 partiram da Síria e 170 estão a deslocar-se para a região”.

Adicionalmente, cerca de 230 pessoas tencionam deslocar-se para a área de atividade jihadista.

Segundo Cazeneuve, cerca de 36 cidadãos ou residentes franceses já terão morrido nestes locais.

Um projeto de lei destinado a limitar as saídas de candidatos a jihad será apresentado à Assembleia Nacional francesa na segunda-feira e deve recolher um consenso da esquerda e da direita, num país onde existe um vazio jurídico sobre esta matéria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As autoridades francesas estão preocupadas com o fenómeno de partidas de cidadãos para a Síria ou o para o Iraque, bem como do seu regresso à Europa, devido ao risco de atentados.