O grupo mexicano Grupo Ángeles Servicios de Salud (GASS) anunciou que decidiu abandonar a corrida pelo controlo da Espírito Santo Saúde (ESS). A notícia foi avançada esta terça-feira pelo Diário Económico, que não especifica as fontes que lhe deram a informação. E Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) confirmou a revogação da Oferta Pública de Aquisição (OPA) horas depois.

“Na sequência do requerimento apresentado hoje pelo grupo Ángeles, o Conselho Diretivo da CMVM deliberou autorizar a revogação da respetiva OPA sobre as ações representativas do capital social da ES Saúde”, lê-se num comunicado publicado na página na Internet do regulador.

O grupo mexicano comunicou ao mercado que a retirada da oferta “tem como fundamentos o lançamento pela Fidelidade – Companhia de Seguros, S.A., no dia 26 de setembro de 2014, de uma oferta concorrente a um preço de 4,82 euros por ação e a decisão tomada hoje” pela Ángeles de não rever a contrapartida da sua oferta.

A Ángeles tinha apresentado uma contrapartida de  4,30 euros que depois foi revista para 4,50 euros por ação, que foi considerada “aceitável” pela administração da ESS na semana passada. Contudo, este valor foi superado pela oferta concorrente da seguradora Fidelidade (4,82 euros).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A oferta da Fidelidade torna-se, assim, a única proposta para a compra das ações da ESS na bolsa. O valor em cima da mesa é de 4,82 euros por ação, uma proposta que foi registada na sexta-feira e que decorre até 10 de outubro.

De acordo com o Código dos Valores Mobiliários, a Ángeles teria de aumentar o preço oferecido em pelo menos 2% face à oferta concorrente, neste caso a da Fidelidade. O novo valor teria de ser, no mínimo, de 4,92 euros.