A ministra das Finanças afirmou que o BCP, que “chumbou” no cenário mais adverso dos testes de ‘stress’ europeus, está agora numa situação de “maior conforto” do que no final de 2013, considerando que muitas medidas já foram tomadas.

“Os testes de ‘stress’ à banca evidenciaram como o sistema bancário português, apesar das dificuldades, está hoje mais forte e mais capaz”, afirmou Maria Luís Albuquerque durante a conferência de imprensa de apresentação do ‘Economic Survey’ de Portugal, um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) sobre a economia portuguesa, apresentado hoje em Lisboa.

A governante referiu-se ao BCP, banco no qual foi identificada uma falta de capital no cenário mais adverso, afirmando que, “mesmo nesse cenário, as medidas tomadas em 2014 já lhe permitem dizer que as medidas que teriam de ser adotadas [por via dos resultados nos testes de ‘stress’] em grande medida já o foram”.

Por isso, concluiu a ministra das Finanças, “a situação hoje já é de maior conforto do que era no final do ano passado”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O BCP foi o único banco português a “chumbar” nos testes de ‘stress’ do Banco Central Europeu (BCE) e da Autoridade Bancária Europeia (EBA) no cenário mais adverso, enquanto CGD e BPI tiveram nota positiva

Nuno Amado, presidente do BCP, sublinhou que o banco passaria nos testes de ‘stress’ se fossem feitos tendo em conta os dados atuais e não de dezembro de 2013 e garantiu que o banco não vai precisar de um aumento de capital nem de vender ativos.