As audições da comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES (Banco Espírito Santo) e do Grupo Espírito Santo deverão iniciar-se a 17 de novembro, segundo o calendário discutido nesta terça-feira na primeira reunião. Nesta quarta-feira será votada a proposta de agendamento da primeira tranche de audições que deverá incluir mais de 20 personalidades. Nesta lista prioritária de pessoas a ser ouvidas até ao final do ano estão Ricardo Salgado e outros antigos responsáveis do Grupo Espírito Santo (GES).

De acordo com Carlos Abreu Amorim, o coordenador do PSD na comissão, a primeira lista de audições a aprovar incluirá mais de duas dezenas de personalidades. A primeira audição deverá ser marcada para dia 17 de forma a permitir aos deputados receberem e analisarem a muita documentação pedida. Ficou ainda acordado que não haverá obstáculos à entrega de qualquer documento.

Audições devem começar pelos supervisores e reguladores nacionais, designadamente Banco de Portugal e Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

De acordo com a proposta de calendarização, as audições devem começar pelos supervisores e reguladores nacionais, designadamente Banco de Portugal e Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), e internacionais. No caso do Banco de Portugal, a comissão não ouvirá apenas Carlos Costa, que já foi chamado a explicar no Parlamento a resolução do BES, mas também Pedro Duarte Neves, que tinha a área da supervisão bancária, e o responsável pelo projeto de resolução do banco.

Num segundo bloco serão chamados os ex-ministros das Finanças Teixeira dos Santos e Vítor Gaspar e a atual titular da pasta, Maria Luís Albuquerque, bem como os antigos responsáveis da troika. Mais tarde, mas ainda este ano, será a vez de serem ouvidos os antigos gestores do banco, incluindo Ricardo Salgado, bem como os titulares do conselho superior do Grupo Espírito Santo, e outras personalidades como o empresário Pedro Queiroz Pereira e o ex-presidente do BESA, Álvaro Sobrinho.

Os partidos com assento parlamentar pediram audição de mais de uma centena de personalidades e a entrega de dezenas de documentos.