O tempo era pouco. E a distância muita — quase 350 quilómetros por percorrer, ao volante de um carro. Mark Clattenburg, portanto, estava com pressa. Tanta que saiu do Hawthorns, estádio do West Bromwich Albion, em Inglaterra, sozinho. Quando as regras ditavam que devesse estar acompanhado. Aqui começaram os erros do árbitro internacional inglês. E tudo só para assistir a um concerto.

A FA, federação inglesa de futebol, revelou esta quarta-feira que o oficial, de 39 anos, não se vai equipar, colocar os cartões no bolso e pegar no apito na próxima jornada da Premier League. A razão: Clattenburg violou o Professional Game Match Officials Limited, regulamento que rege os árbitros profissionais do futebol inglês.

Primeiro, lá está, porque se deslocou de e para o estádio sozinho — as regras estipulam que a equipa de arbitragem designada para qualquer partida da Premier League se deva deslocar, em conjunto, em dia de jogo. Mas Clattenburg, para garantir que chegava a Newcastle, cidade localizada no Norte do país, a tempo de assistir ao concerto de Ed Sheeran — um cantor inglês, de 23 anos –, resolveu levar o próprio carro para West Bromwich.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pelos vistos, Mark Clattenburg não foi o único a ir a Newcastle para assistir ao concerto de Ed Sheeran.

E depois piorou as coisas. Como? Quando, já ao volante, pegou no telemóvel e arrancou uma chamada para Neil Warnock, treinador do Crystal Palace, equipa que jogara e empatara (2-2) com a equipa da casa, no encontro que Mark Clattenburg acabara de apitar. Outra infração: as regras dizem que o homem do apito só pode conversar com um responsável de uma equipa da liga caso esteja acompanhado pelos árbitros assistentes — ou caso a FA o tenha autorizado a fazê-lo.

Regras que servem para evitar que árbitros e dirigentes entrem em contacto em situações nas quais possa ser necessário existirem testemunhas, explicou o The Guardian. E não se trata de um árbitro qualquer — Mark Clattenburg é um oficial internacional da FIFA desde 2006. Na época passada, aliás, apitou o Juventus-Benfica, das meias-finais da Liga Europa e, já esta temporada, foi o árbitro escolhido pela UEFA para o jogo da Super Taça Europeia, entre Real Madrid e Sevilha.

Esta nem é a primeira vez que a polémica toca à porta de Clattenburg. Em novembro de 2012, por exemplo, John Obi Mikel, médio nigeriano do Chelsea, acusou-o de ter proferido insultos racistas. E, na última temporada, Adam Lallana, então no Southampton, mas que hoje já anda a jogar pelo Liverpool, queixou-se de ter sido insultado pelo árbitro.