O Banco Espírito Santo Angola (BESA) vai passar a assumir a denominação de Banco Económico SA e entre os novos acionistas encontra-se o grupo público angolano Sonangol e o Novo Banco português, informou o Banco Nacional de Angola (BNA). De acordo com a edição desta quinta-feira do Jornal de Negócios a Sonangol passará a ser o maior acionista do Banco Económico.

As alterações foram tomadas durante uma assembleia-geral extraordinária de acionistas, realizada esta quarta-feira em Luanda, em cumprimento das determinações do banco central angolano, que assim vai cessar a intervenção no BESA.

Segundo o Jornal de Negócios, a entrada da Sonangol no capital do BESA irá acontecer no quadro do plano de capitalização que o BNA definiu para a instituição. A petrolífera deverá assegurar uma parte significativa da injeção de capital que o BES Angola vai receber, devendo investir cerca de 200 milhões de euros, o que lhe permitirá ficar com 35% da instituição.

Além da Sonangol, farão também parte da nova estrutura accionista do BESA a Lektron Capital, uma sociedade de capital chinês, e o grupo angolano Geni, que já era accionista do BESA. O Novo Banco também vai ser accionista do BES Angola, com 9,9% da instituição financeira.